A FRASE

«Não procures encomendas assinadas pelo general franco, não as encontrarias, os ditadores só usam a caneta para assinar condenações à morte».

(No telefonema de felícia para artur paz semedo, in «Alabardas», pág. 29, de José Saramago).

Comentário: As 77 páginas de Alabardas, incluindo ilustrações de Günter Grass, outro Nobel da Literatura, são as capelas imperfeitas do Mosteiro da Batalha, onde a beleza do que são antecipam a perfeição que seriam. Saramago, o maior ficcionista português, continuou a sê-lo em todos os dias que ainda foram seus.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …