Código deontológico dos médicos está obsoleto

«O director da Maternidade Alfredo da Costa, Jorge Branco, incentivou ontem a Ordem dos Médicos a alterar o actual código deontológico da profissão para acolher a prática do aborto.

"É impensável que a Ordem tenha uma posição dissonante das leis do Estado", afirmou este clínico, que é também presidente da Comissão Nacional de Saúde Materna e Neonatal. Uma posição também defendida pelo médico Albino Aroso, ex-secretário de Estado do PSD, este ano galardoado com o Prémio Nacional de Saúde.

Albino Aroso e Jorge Branco respondiam a uma interpelação da jornalista Fernanda Câncio numa conferência internacional sobre a saúde sexual e reprodutiva da mulher, em Lisboa, organizada pelo Partido Socialista Europeu. Uma iniciativa a que se associou o primeiro-ministro: José Sócrates foi ao Centro Cultural de Belém reiterar a posição "moderada" do PS sobre interrupção voluntária da gravidez (IVG)».

Fonte: Diário de Notícias

Comentários

jagudi disse…
o edifício da hipocrisia da direita, e da traição secular dos poderosos ao povo, abre fendas por todos os lados. mas lá vai resistindo como pode, enquanto o povo dorme, ou esbraceja a ver se mata a fome. tiro o meu chapéu aos que nunca desistem!
e-pá! disse…
O código Deontológico da Ordem dos Médicos é na realidade um documento obsoleto, uma herança quase intocável dos tempos de antanho, que tem causado imensos problemas à profissão.
Não é só o eventual confronto com a discriminizalição da IGV, neste momento em discussão no País.
Esta situação em discussão condiciona o funcionamento de uma capacidade de resposta rápida (10 semanas), senão o referendo pode tornar-se num mero exercício democrático, sem consequências.
Vamos a ver, se no caso de o referendo se pronunciar pela positiva, se algumas das maternidades encerradas não vão fazer falta.
Há imensas outras desadequações.
As normas sobre publicidade, por exempo, que "amarram" os médicos a estreitas medidas éticas em contraponto com a "libertinagem" das sociedades ou "corporações" cujo objectivo é o exercício da Medicina que se enredam por caminhos próximos da publicidade enganosa.

As corporações têm, devido a uma inércia intrinseca, dificuldade de actualização. Depois, ficam desadaptadas e as violções aos seus estatutos e códigos tornam-se letra de forma, e prosseguem na maior impunidade.

Se este referendo para além de dignificar as mulheres, trouxer alterações do código deontológico médico é, com certeza, uma inesperada mais-valia, a saudar.
pai de família disse…
Cá está! Já estão a orquestrar tudo!
Mudar o Código Deontológico dos Médicos?
Para começar a prever a prática homicida?
Então mas os médicos não servem para defender a Vida? Agora é para matar a Vida e assassinar bebés inocentes e indefesos?
Isto está tudo ao contrário...
A esquerda infiltra-se em todo o lado e vai ramificando a sua cultura de morte.
Então, mas em vez de PRENDEREM os médicos assassinos que fazem abortos, agora vão por isso no Código lá deles?
Não vêem o que se passa aqui? Abram os olhos!
É a legalização do homicídio!
O Código Deontológico dos médicos deveria reger-se pelo valor da Vida Humana, pela dignidade e pelo respeito, pelas perfeitas e justas orientações da Santa Madre Igreja.
Anónimo disse…
É o que se pode dizer: Ó pai de família, vai chamar pai a outro com isso das perfeitas e justas orientações da Santa Madre Igreja.
Chiça!!!!
pai de família disse…
E aqui se vê o saltar do verniz da esquerda do discurso políticamente correcto.
São tão correctos, tão correctinhos, que quando não têm argumentos ofendem logo, sem motivo.
Está perdoado, caro anónimo.
Anónimo disse…
Ó gajo de família, essa do "politicamente correcto" já enjoa. Vocês, os da extrema-direita, não sabem dizer mais nada?
Fónix!
e-pá! disse…
Pai de família:

O código deontológico rege o exercício de Medicina no nosso País, obviamente de acordo com as nossas leis (as actuais e as que vierem a ser adoptadas).
Os médicos têm um código ancestral, vindo dos tempos da cultura grega, de Hipócrates, que é um um documento orientador para o exercício da profissão, nas relações entre pares, entre o médico e o doente, etc.
Só que, com todo o respeito devido a Hipocrates, ele não é um PAPA da Medicina, portanto, infalível e imutável.
Mantem um conjunto de orientações mas os médicos exercem a profissão no mundo actual. E, se, não fosse assim, tenha a certeza que a morte bateria à porta dos homens, mulheres e crianças, mais cedo - muito mais cedo.

A sua mentalidade dogmática dificulta-lhe esta percepção.
Daí, o insulto gratuito aos médicos, acusando-os de eventuais "práticas homicidas".

Caro "pai de família":

Se, na verdade, quer penintenciar-se daquilo o preocupa e acintosamente chama "cultura de morte", deixe a sociedade evoluir entregue aos homens e, piamente, reze, até ao fim da vida, por exemplo, pelos crimes e mortes da Inquisição.
Penso que, apesar dos avanços da medicina e do aumento da esperança de vida, terá dificuldade em expiar tantas penas.
Camisa Azul disse…
O meu apoio ao pai de família.
Estes dois médicos deviam desistir da profissão, estão no lugar errado.
Mas a luta vai fazer-se nas ruas e o não vão ganhar. O povo começa a acordar em Portugal e por essa Europa fora.
Anónimo disse…
O Código Deontológico dos médicos deveria reger-se pelo valor da Vida Humana, pela dignidade e pelo respeito, pelas perfeitas e justas orientações da Santa Madre Igreja adventista de Geoges Bush.
E o fascista de Cantanhede apoia.
Entre fascistas não há nada de esperar.
Só dá para rir quando falam de dignidade e valor da vida humana os disciplos do dr Mengele e da Santa Inquisição.
pai de família disse…
Apeasr dos erros, vai negar os significativos avanços que o Dr. Mengele trouxe à Medicina?
Ou o politicamente correcto impede-o de ser racional e reconhecer o óbvio?
Camisa Azul disse…
Ao anónimo.
Eu sempre sou um “fascista que dá a cara” você é um cobarde de um anónimo.
Nuca me viu defender as personagens que cita. Eu defendo a vida que é um acto contínuo. A ciência hoje me dia não pode determinar com exactidão quando ela começa ou acaba, portanto na duvida sou anti aborto.
e-pá! disse…
Vitor Ramalho:

A "coisa" está a melhorar...

Neste momento, já não sabem quando começa e acaba a vida...
Há uns tempos atrás estavam cheios de certezas...
Agora, a dúvida habita as suas cabeças.
e-pá! disse…
Pai de família:

Qualquer código deontológico médico, em qualquer parte do Mundo, arrumava e engavetava o nazi Mengele.

Não fez outra coisa pela Medicina senão dar o péssimo exemplo do que o médico não pode nem deve fazer.

É simplesmente inacreditável como pode ter "admiradores".

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A desmemória e a dissimulação

Miranda do Corvo, 11 de setembro