Convém não esquecê-los...

(muro: Israel-Palestina (Cisjordânia)

(muro: EUA - México)


E, inclusivé, os históricos, hoje obras de arte, mas na época da sua construção, na mesma, uma barreira interhumanitária :

(grande murallha da China)

.../../.

Comentários

jrd disse…
Há que continuar a respirar a golpes de pedras levantadas por sobre todos os muros das vergonhas de todas as vergonhas.
Alfacinha disse…
Há Muros e Muros.
Uns cercam e oprimem, outros são defensivos.
e-pá! disse…
Caro Alfacinha:

Em minha opinião não há muros "inocentes"...
São como as grilhetas ou como o os rolos de arame farpado.
Só não oprimem, nao escravizam ou não rasgam a pele, quando estamos do lado de lá ..., isto é, livres.
P Amorim disse…
É preciso saber qual é o lado de lá, ter a certeza...
Até ver parece que o nosso lado é que é o bom, sempre, mas será?
Se já estivermos do lado de lá e não soubermos arriscamos que a travessia se faça para cá e perdemos a liberdade.
P Amorim disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse…
o muro do regime sionista é a prova de criticas... afinal... a nação judia é "vitima eterna"
José Estorninho disse…
http://jugular.blogs.sapo.pt/1305432.html

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?