Momento de poesia

Descoberta (II)...


Ficamos sem saber

de onde vem a tua doçura

e o teu enlace com o encanto ...

Abres o teu sorriso ao mundo

na ingenuidade consentida

que habita o teu corpo

de mulher madura ...

Ficamos sem saber

onde nasce a força que te agita

e a humildade que te engrandece ...

Sabemos apenas

que és uma mulher já desperta

para a urgência da descoberta,

no cruzamento do limiar oculto dos sentidos ...

Alexandre de Castro

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?