O transtorno que tomou conta do Congresso do PSD…

Passos Coelho não parece conceber a  necessidade de fazer uma cura de Oposição. Aliás, raramente usa o termo ‘Oposição’.

Considera que depois do titânico esforço despendido em aplicar uma violenta receita neoliberal é um primeiro-ministro em licença sabática.
Este corte com a realidade dá-lhe direito a ver castelos no ar. Nem mesmo a aprovação do OE2016 lhe esfriou a obsessão. Todavia não guarda para si estes delírios obsessivos.

Freud caracterizou estes delírios como sendo a expressão da dúvida que alimenta a incapacidade de se proteger, promove a repetição continua e exaustiva de nodo a banir as incertezas.

Hoje ao admitir “assumir o governo sem se submeter a eleições” link deu um salto em frente: caminhou do delírio para um transtorno paranóide. 
Com um forte componente delusório. Terapia, precisa-se!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975