OCDS, os cães e os gatos

O CDS, na ânsia de ser notícia, lidera os temas fraturantes. Primeiro, na eleição do líder parlamentar, dividiu-se ao meio, de um lado, Ribeiro e Castro e, do outro, os restantes deputados.

Agora, sabendo-se que há unanimidade quanto ao número ilimitado de apartamentos por pessoa, o CDS avançou para a lei da limitação de cães e gatos por apartamento.

O pungente tema penetra como bisturi no cerne do CDS, com a fratura exposta por João de Almeida a sangrar por dentro de Assunção Cristas. Num partido dividido por cães e gatos a política dá lugar à zoologia e o Governo e o grupo parlamentar desentendem-se.

Se o drama que dilacera o partido se mantiver, Paulo Portas, de guião em punho, terá de intervir, impondo a deputados e ministros do CDS rigoroso silêncio sobre o assunto, de modo a impedi-los de miar ou ladrar.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido