A prostituição e o Governo

Por decisão da UE, logo acolhida por Portugal, a riqueza oriunda da prostituição, tráfico e contrabando, integrará as estatísticas nacionais, a partir de setembro, e ampliará o PIB em 0,4%, qualquer coisa como 700 milhões de euros.

Dada a dificuldade na cobrança do IVA às empresas do ramo, serve apenas para reduzir a percentagem da dívida pública! No último trimestre do ano, assistiremos à exibição da subida do PIB, enquanto, à beira das estradas, a prostituição grassa, alheia ao número de contribuinte, com prostitutas sem código de barras, inspeção médica ou livro de recibos.

O défice da dívida pública pode ser disfarçado mas a tuberculose, hepatite, sífilis e sida não deixarão de contribuir para o défice moral e sanitário de um país doente.

Comentários

E não passam fatura com NIF para a rifa do Audi!
De facto, a fatura é o mínimo.

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …