Um PM sem pés nem cabeça

Alguém devia explicar a Passos Coelho que o Tribunal Constitucional não é a bancada parlamentar a que possa exigir disciplina de voto.

O PR tinha obrigação de o advertir de que não lhe cabe escolher os juízes do TC nem os dos outros tribunais e, muito menos, a ousadia de dizer que foram mal escolhidos.

Podia pensar em si próprio e nos caminhos sinuosos que o levaram ao lugar que ocupa. Na escolha errada, o PM é a mais eloquente das demonstrações. Nem o PR o bate.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …