Andam fascistas à solta...


... aqui tão perto.

Comentários

Anónimo disse…
O gajo da foto é o Sócrates, não é???... se não é, pelo menos com as atitudes que tem tomado, parece...
Anónimo disse…
Caro anónimo:

Como calcula não me afectam os ataques ao primeiro-ministro. É um direito em democracia que não precisa do anonimato.

Mas confundir quem assassinou e exilou cerca de 1 milhão de espanhóis com um primeiro-ministro de uma democracia que, a seu tempo, voltará a submeter-se ao escrutínio do eleitorado, é, no mínimo, má fé.
Anónimo disse…
pois... pois... pior cego, é aquele que não quer ver!!!!

Se isto é democracia, vou ali já venho!!!!!
Anónimo disse…
O que vêm de bom os povos ibéricos nestas figuras?...

Diogo.
Mano 69 disse…
Mas esse cartaz já tem uns anos largos o que é que pretende com ele, ou o que ele simboliza?
Mano 69 disse…
Leia-se "simboliza actualmente em e para Portugal?"
Anónimo disse…
A actual situação em Espanha recorda, se formos perspicazes, o período fascista da peninsula e, por arrastamento, da Itália.
Hoje, a questão basca, é "arremessada" exclusivamente para cima de J L Zapatero. Sendo uma questão ancestral, não podemos esquecer que foi agravada pela ditadura de Franco. A morte por garrote não sufucou, em Espanha, os nacionalismos. Pelo contrário, exacerbou-os. Os avanços autonomistas, por exº., na Catalunha, foram só possíveis em democracia.
É hoje evidente que J L Zapatero cometeu erros na avaliação política da situação do País Basco.
O maior terá sido "contentar-se" com as tréguas propostas pela ETA.Estamos perante a evidência de que só a "renúncia incondicional do uso da violência" será, no futuro, uma base aceitável para a Paz. Os militantes e simpatizantes da Eskadi Ta Askatasuna – Pátria Basca e Liberdade (ETA) são cidadãos (nem todos são terroristas) e mereceram, da parte de Zapatero, uma oportunidade. A Paz, como se parecia oferecer, valia isso. Essa janela de oportunidade para a Paz foi fechada com o atentado de Barajas.
No entanto, o governo espanhol tem o dever de concertar uma estratégia para a Paz e nesse sentido vai tentar, nas Cortes, implementar "uma aliança nacional anti-terror".
Os resquícios falangistas, ainda residuais em Espanha, agitam as ruas e, como solução política, propõem a liminar queda de Zapatero e o brutal recrudescimento da repressão - à maneira dos outros tempos.

Sendo assim, recordar o cartaz de antanho (anos 30), não será dispiciendo...
A memória histórica deve estar presente em todas as crises.
Anónimo disse…
"O ventre que pariu a besta ainda é fecundo" e é verdade que os filhotes do Milan Astray andam à solta a repetir-lhe o grito.
jrd
Mano 69 disse…
"O ventre que pariu a besta ainda é fecundo"
jrd


É pena o aborto não ter sido utilizado nessa altura.
Anónimo disse…
Eu diria, andam fascistas à solta e xoxalistas tambem...com este governo, andamos a ser enganados, são socialistas só de nome... nas atitudes, é só venha a nós, o povo que se lixe.
Anónimo disse…
O debate havido hoje nas Cortes onde J L Zapatero teve a hombridade e a coragem política de, publicamente, reconhecer que cometeu erros, saldou-se, pelo bloqueio da aliança contra o terror, pelo PP.`
É notória a intenção do PP em utilizar o terrorismo como arma de arremesso eleitoral. Pela primeira vez em 30 anos (desde o fim do franquismo) não foi possivel concertar as principais forças políticas na luta anti-terrorista.
O PP bloqueou, perante as Cortes, a possibilidade desta aliança.
O "jogo" político (oportunista) do PP, com o terrorismo, já lhe custou uma derrota eleitoral.
Poderá, hoje, ter iniciado a caminhada para outra.
Anónimo disse…
Espero bem que Zapatero continue, por muito tempo, no poder.

Diogo.
Anónimo disse…
É bom não esquecer que foi o terrorismo a levar Sapateiro ao poder...
Anónimo disse…
Quantos não existirão por cá, também !?.

Mensagens populares deste blogue

Associação Ateísta Portuguesa (AAP) - RTP-1