Fiama Hasse Pais Brandão

Foi hoje a enterrar

EM GALAFURA

Os povoadores da beira Douro
conhecem o pó e as pedras.
E sabem que o Universo
concebe cerejais e parras.
Vivem como vermes magníficos,
iluminados por dias soalheiros,
obscurecidos pelas invernias.

Fiama Hasse Pais Brandão
As Fábulas
Famalicão, Quasi Edições, 2002

Comentários

Anónimo disse…
Ou, estoutro, poema:

EPÍSTOLA PARA DÉDALO

Porque deste a teu filho asas de plumagem e cera
se o sol todo-poderoso no alto as desfaria?
Não me ouviu, de tão longe, porém pensei que disse:
todos os filhos são Ícaros que vão morrer no mar.
Depois regressam, pródigos, ao amor entre o sangue
dos que eram e dos que são agora, filhos dos filhos.

Fiama Hasse Pais Brandão.
in Epístolas e Memorandos, 1996.

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita