Uma ajudinha aos movimentos pró prisão

Ponte Europa/Pitecos-Zédalmeida

Comentários

Mano 69 disse…
Sim senhora, o grande arquitecto tudo avista...

"movimentos pró prisão?"
Não há dúvida que os seus conceitos democráticos já tiveram melhores dias.
Será que com o correr dos tempos (leia-se idade) as pessoas ficam mais radicais?
Anónimo disse…
Confundir a questão do aborto, que é exclusivamente ética e moral, com a religião leva-me a que eu tenha de lhe chamar homossexual, Senhor Carlos Esperança. É que do lado pró-aborto estão todas as associações de gays e lésbias. Podia-lhe também chamar, na mesma ordem de ideias, transsexual. Mas não o farei...

Segundo a sondagem hoja saída no Público, a maior parte das pessoas que pensa votar sim, só aceita o aborto em caso de malformação, violação ou risco de vida para a mãe. Estão mal informados! Não sabem que se negoceia o aborto como um capricho, que se negoceia a sua banalização até às vinte semanas. Se és pela vida informa o máximo de pessoas possível!

É incrivel como os ateus ressabiados confundem tudo com religião. Falam mais dela do que qualquer beata de aldeia. Livra! Ainda não perceberam que antes de existir Igreja Católica as pessoas já conseguiam engravidar?
Anónimo disse…
43-45% das pessoas que dizem ir votar sim são contra o aborto livre!!!!!!!!!!

Se és a favor da vida, é teu dever informar o máximo de pessoas possível!
Não deixes que a contra-informação da descriminalização continue a mentir!
Estão vidas em jogo. Se esta votação tivesse ocorrido há cem anos, podias não estar a ler este post! é nosso dever querermos uma sociedade responsavél! Vota não!
Anónimo disse…
Mais um acabado exemplo da intolerância rasteira, do mau uso dos direitos de cidadania e a permanente intenção de manipular informação.

De facto, é, neste País, difícil discutir com dignidade qualquer problema. A chafurdice reina...
Mano 69 disse…
Corta e cola com a ajuda do e-pá!:

«Sem qualquer conteudo censório e apesar de não ser, nem de perto nem de longe, um adepto de G W Bush (leia-se Papa) acho a foto (leia-se desenho) deste post despropositada. Julgo, no meu entender, que não devemos dar relevo mediático à violência ou aos instintos de vingança, nem ironizar sobre as mesmas, exibindo-as ...(mesmo que sarcasticamente).»


Consequente e rapidíssima resposta do Carlos Esperança:

«e-pá:

Concordo com o espírito crítico revelado e vou remover a imagem.

Obrigado.

Os leitores são a consciência crítica de quem «faz» o blogue.»

P.S.: Ele há consciências que são ouvidas superiormente enquanto outras nem chegam ao céu (leia-se ao escarnecedor administrador deste blog).
Anónimo disse…
«No ano em que se comemora o 90º aniversário das Aparições de Fátima , Nossa Senhora chora...
...e Ela chora por milhares de inocentes que podem perder a vida antes mesmo de dar o primeiro gemido»

«Ou seja, dizer que NÃO está de acordo com o assassinato brutal de inocentes ainda no ventre materno!
Esta é a resposta que a Santíssima Virgem espera de si.»

«Peça hoje mesmo o seu estojo do Terço da Vida. E receberá em casa o terço e o livro "O Rosário da Vida", com meditações para rezar o terço em desagravo ao referendo, que por si só já constitui uma ofensa a Deus.»

«No dia do referendo lembre-se das palavras ditas por Nossa Senhora aos pastorinhos de Fátima:
"Portugal conservar-se-á o Dogma da Fé"
Não decepcionemos a nossa Mãe do Céu!
Portugal vota pela vida, dizendo NÃO ao Aborto!»
Anónimo disse…
A linguagem e os insultos dos partidários dos movimentos pró prisão são a prova da sua alegada tolerância.

Merecem que lhes recordem a inquisição, as Cruzadas e a evangelização dos índios.

Um cínico poderia responder-lhes: Gostam que nasçam para os matarem depois.
Anónimo disse…
Senhor Carlos Conceição, merece uma mulher ser presa por ter abortado um feto com dez semanas e um dia? e com oito meses?


A descriminalização continuaria a existir depois das dez semanas!!Estes senhores que chamam intolerantes aos outros acham que um dia de diferença na idade do feto é o suficiente para decidir se uma mulher é penalizada ou não. Cambada de hipócritas!


Se estes senhores são contra a humilhação das mulheres não montavam autênticos circos à porta dos tribunais!

O facto de tanto falarem na Igreja leva-me a pensar que vocês estão contra o que a Igreja diz em si e não a favor da despenbalização do aborto!

P.S.. Esqueceste-te do exemplo do Galileu!!
Anónimo disse…
Mano 69:

A propósito do seu "corta e cola":

- o paralelismo que pretende evocar só existe na na sua cabeça.

Como se diz por estas bandas, é o mesmo que comparar a feira de Espinho com...

Já agora uma parábola, ao jeito biblico, como o seu comentário me sugere:
Os judeus, dirigidos por Moisés, fugiram do Egipto em direcção à Palestina, montados em burros.

Mano 69 não chegará à demagogia montado no e-pá!
Anónimo disse…
P.S.. Esqueceste-te do exemplo do Galileu!!

RE: O Senhor Anónimo fez bem em lembrar Galileu, mas podia evocar Giordano Bruno, a expulsão dos judeus da Península Ibérica, a noite de S. Bartolomeu, a Contra-Reforma, o apoio ao nazismo, etc.

Mas não é isso que está em causa quando se pretende manter a prisão das mulheres que interrompem a gravidez.
Mano 69 disse…
Tem toda a razão meu caro e-pá!, nem eu lhe quero usurpar o seu papel demagógico...
Mano 69 disse…
Oh! Carlos Esperança isso é forma ou feitio?

Olhe que assim e com esse azedume todo não chega a comer a batatas novas...
Anónimo disse…
Mao 69:

Repare na educação do seu correligionário do segundo comentário.

Ensine-lhe boas maneiras para quem lhe permite afirmações boçais sem reagir.
Vítor Ramalho disse…
Carlos Esperança quem tem insultado os defensores do não é você.
Por detrás da capa de democrata está escondido um ditador, que não consegue livrar-se da costela estalinista.
Por outro lado tudo o que publica não passa de uma mera engraxadela quiçá no intuito da Maria Alice lhe arranjar um lugarzito lá no governo.
Tenho tentado ser civilizado mas face às suas provocações não posso ficar calado. Ainda bem que na esquerda e no PS milita gente como você, assim é mais fácil desmontar a mentira.
Anónimo disse…
Ó Portugal. O que fazes na Europa? O teu lugar é junto das Filipinas, onde a Igreja Católica não permitiu que uma adolescente abortasse, mesmo sabendo que ela podia morrer.

Diogo.
Anónimo disse…
Diogo:

Compreendo bem o seu desabafo. Aliás o mesmo problema que refere passa-se na América Latina.

Mas olhe que em Malta nem o divórcio é permitido.
Anónimo disse…
O senhor Carlos Esperança ainda não respondeu à simples pergunta que lhe fiz: merece ser penalizada uma mulher que aborta às dez semanas e um dia? A partir de que momento é que a sua consciência acha que não se deve poder abortar?

Queria aqui dizer ao Senhor diogo que em Portugal pode-se abortar se a mãe estiver em perigo de vida! E já agora para lhe dar os parabens pois é a primeira vez que leio alguma coisa sua em que não chora viver na Suécia. Muitos parabens Diogo
Anónimo disse…
Anónimo Sáb Jan 13, 04:32:53 PM:

1 - Qualquer transgressão à lei «merece» a penalização adequada;

2 - Neste momento «merecem» a cadeia todas as mulheres que interrompam a gravidez fora do quadro legal, tal como,

3 - Se o SIM ganhar merecem a penalização às 10 semanas e 1 dia;

4 - A lei é sempre para cumprir.

P.S. Tem algum problema em deixar de refugiar-se no anonimato?
Mano 69 disse…
Meu correligionário?

Lá está você a fazer inferências, deve estar equivocado (no mínimo).
É tão bom colocar tudo e todos no mesmo saco quando não se é da mesma facção…

Síndrome Fernando Rosas?
Anónimo disse…
Senhor conceiçaõ. Eu estou no anonimato porque acho que o meu nome não é necessário para defender as minhas ideias. Eu não sei quem é o Senhor nem pouco me interessa. De qualquer forma, quando encontrar um nome engraçado, dou-lhe a minha palavra de honra que o ponho aqui. Eu não me chame...(ai!que já me ia descaindo!) Não entendo qual é o seu interesse em saber o meu nome, palavra de honra.

Acabou de dizer que quer acabar com a "humilhação" das mulheres que abortam até às 10 semanas mas que acha que quem se atrase um dia na decisão deve ser penalizado.
Vindo este argumento de alguém que,como todos nós, aceita ser este assunto do foro pessoal e ético de cada um, não posso deixar de estranhar. Ou se calhar não,é que a mim, desde pequeno me ensinaram que em questões de princípio não há males maiores nem menores. Que há "bens" e há "males", e que estes devem ser sempre alvo de confronto. Enfim, maneiras diferentes de estar na vida.
Obrigado por ter respondido.
Anónimo disse…
Caro anónimo Sáb Jan 13, 04:32:53 PM,

LOL então ainda leu pouco. Também não sou o regular que gostaria nas participações.

Mas as comparações são sempre boas de se fazer.

Diogo.
Anónimo disse…
E aí está um segundo texto do Senhor Diogo onde não se refere a nenhum país Nordico.
Parabens mais uma vez!

Agora até já tenho saudades. A verdade é que tem mesmo piada esse estilo: "Como aqui só na Nigéria"..."Na Suécia é que sim porque tal é social"..."Como país latino que somos nada devemos ao Mali"!!!

Eu sei que gosta de fazer comparações. Tal é o vício que da última vez se enganou e ainda teve direito a uma palmadinha nas costas em jeito de ponto final do Senhor Conceição, que confirmou o seu erro e ainda não se retratou.

P.S. : Já anteriormente lhe tinha dito que em minha opinião os lá de cima só deixaram de ser bárbaros quando se começaram a preocupar mais consigo do que com os outros. Na minha opinião, comparar situações diferentes revela sempre uma grande falta de bom-senso, se não fizermos por perceber os factores variáveis que estão na origem das "coisas". Aquela história da relação "causa-efeito"!
Anónimo disse…
Eu não me enganei. Simplesmente não sabe ao que eu me referia.

Quando comparei Portugal às Filipinas, foi mais pelas opiniões que aqui vi expostas. Mas se quer que lhe diga, a lei do faz de conta vai dar ao mesmo, porque quem não tiver condições psicológicas para ter um filho, não pode abortar em Portugal, e se não for rico, não pode ir a mais lugar nenhum a não ser a uma parteira de vão de escada.

Interligamo-nos assim, com aquilo que disse.

Quanto aos nórdicos... eu sei que custa. Só dá jeito fazer comparações, quando se souber à priori que vamos estar "à frente", contribuindo assim, um pouco mais, para o ópio.

Diogo.
Anónimo disse…
O Senhor Carlos Esperança admitiu uns posts atrás que é pro-prisão mas só a partir das dez semanas e um dia! Admitiu que todas as mulheres que abortem depois das dez semanas devem ser penalizadas.

Alguém me consegue arranjar um exemplo maior de hipocrisia?
Anónimo disse…
Ó Esperança. Desta vez foi apanhado.
Vá lá seja desportista e admita. É que não custa mesmo nada e até lhe fica bem...
Anónimo disse…
Caro Anónimo anterior:

Claro que defendo que a lei deve ser cumprida, neste,noutros e em todos os casos.

Por não concordar com a lei (é diferente defender o cumprimento enquanto estiver em vigor)vou votar SIM no referendo.

Quanto às 10 semanas: Naturalmente que tem de haver um limite.

Tal como na alcoolemia. Porquê 0,5 e não 0,6? Os limites são os que o poder legislativo julgou, num determinado momento, os mais correctos.
Anónimo disse…
Assunção Esteves*

12. No dia do referendo, vou dizer "sim"! Não por razões de solidariedade ou piedade. Por razões de justiça.
... Mesmo com a possibilidade de optar até às dez semanas, a mulher ficará sempre com a impossibilidade de evitar a dor.

*Deputada do PSD no Parlamento Europeu
Anónimo disse…
Lá está o Senhor Esperança a ser primário outra vez:

"Tal como na alcoolemia. Porquê 0,5 e não 0,6? Os limites são os que o poder legislativo julgou, num determinado momento, os mais correctos"

O que acontece é que a maioria dos estudos científicos demonstra que este é o valor a partir do qual uma pessoa não está em condições de conduzir. Há algum estudo que lhe permita tirar o mesmo género de conclusão em relação ao aborto?
Não se esqueça que já assumiu ser este um assunto do foro moral e ético de cada um. Se quer ser honesto só tem duas hipóteses, ou assume que é a favor do aborto em ou assume que está baralhado!
Anónimo disse…
«Lá está o Senhor Esperança a ser primário outra vez»:

Resposta: sem entrar em considerações sobre o seu nível de delicadeza, dou-lhe outro exemplo:

Os limites de velocidade: 80 ou 81?
120 ou 118? Tem de haver referências. A demagogia procura inventar a roda diariamente.

Mensagens populares deste blogue

Associação Ateísta Portuguesa (AAP) - RTP-1