Terramoto na Câmara de Lisboa

A vereadora do Urbanismo na Câmara de Lisboa poderá renunciar ao mandato, na sequência da investigação da PJ sobre o processo Parque Mayer, em que foi constituída arguida, segundo a edição online do semanário Sol, citando fontes do PSD.

(…)

A vereadora com o pelouro do Urbanismo, Gabriela Seara (PSD), e o director municipal dos Serviços Centrais, Remédio Pires, foram constituídos arguidos, disse à Lusa fonte ligada ao processo.

Comentário: A PJ começou a remexer os terrenos e a autarquia ruiu pelos alicerces.

Comentários

Acácio Simões disse…
e se a PJ entra em muitas câmaras o terramoto vai ser maior e mais desvastador do que o de 1755.
Mano 69 disse…
É o horror, o horror...
Anónimo disse…
CHULOS ESTES AUTARCAS!!!!

Mas mesmo assim não conseguem ter sido piores que o Luís Monterroso (PS) e Fátima Felgueiras (PS)
Anónimo disse…
Espanta-me as conversas do Acácio, do Mano e do anónimo das 25, 03:20, acerca dos terramotos nas Câmaras. Parecem-me preocupados mas não são "contributors" coerentes. Quando eu levantei o problema da corrupção no futebol todos me bateram. Agora estão surpreendidos com quê?... não têm o meu aval de coerência. Assim não vale.

PB
Manuel Norberto Baptista Forte disse…
É o regabofe total.
Depois admiram-se com a bstenção em subida.
Para moralização da sociedade, e em particular do Poder Local (há quem o exerça por convicção), que as investigações vão ao fundo da questão, e seja quem fôr e onde fôr, que sofra as consequências, que, se calhar um simples cidadão deste País sofreria, quase de imediato.

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita