«Não me venham depois dizer que eu não avisei…»

De vez em quando, Cavaco Silva, numa aparente demarcação do Governo que quis, aparece a fazer a síntese entre a cigana que lê a sina e a sua mais elaborada versão, o senhor de la Palice.

Enquanto o País resvala no plano inclinado da depressão económica, política e cívica, sem motivo de esperança ou uma palavra de conforto, sem qualquer proposta, o culpado do passado e refém do presente, dedica-se a predizer o futuro, à semelhança da pitonisa de Delfos mas, em vez de Apolo, só conta com a legião de assessores.

Eu bem avisei…, parece o cínico merceeiro a confortar o pai do rapaz que morreu num acidente de moto: «eu bem o avisei para que não comprasse a moto»!

Comentários

e-pá! disse…
Os constantes 'avisos à navegação' de Cavaco Silva são um insulto para todos aqueles que conheceram e leram Joaquim Namorado.
Este poeta neo-realista escreveu um notável poema, em 1941, isto é, nas difíceis condições do início da II Guerra Mundial, onde invoca essa temática.
Cito uma parte dessa poesia que julgo oportuna:
...
Aviso à navegação:

Não espereis de mim a paz!

Que quanto mais me afundo
maior é a minha ânsia de salvar-me!
Que quanto mais um golpe me decepa
maior é a minha força de lutar!

Não espereis de mim a paz!

...

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?