Seara dá o dito por não dito

Seara, que tinha afirmado desistir da candidatura à Câmara de Lisboa, se a decisão do Tribunal da Relação de Lisboa lhe fosse desfavorável, mantém-se candidato e pressiona Tribunal Constitucional.

A coerência de Seara está em linha com o comportamento da direita no desrespeito pela independência dos tribunais.

Especialista em futebol, o candidato é como a bola. Não tem ponta por onde se pegue. O candidato iminente não é um eminente candidato.

Comentários

e-pá! disse…
Se o Tribunal Constitucional 'chumbar' a candidatura conhecemos a solução. O acórdão será substituído por 'medidas equivalentes'. Isto é, muda-se a lei (já anunciado por Passos Coelho) e será tentado substituir o acto eleitoral por sessões mensais na torre de Belém um pouco ao estilo dos duodécimos do subsídio de natal ou de férias (ninguém sabe ao certo qual dos dois).

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?