11º MANDAMENTO: NÃO CONTESTARÁS!


O menino-prodígio do governo, Professor Doutor Poiares Maduro, que tem em excesso as habilitações académicas que o seu antecessor no Ministério da Propaganda, Miguel Relvas, tinha de menos, e que, tal como o “sábio” Gaspar, “não foi eleito coisíssima nenhuma”, produziu há dias esta doutíssima reflexão: “Um dos grandes problemas em Portugal é que tudo é contestado”.

A “contestação” é assim, para Sua Dogmática Sumidade, a mãe de todos os males.

Não está sozinho o Maduro nesta sua aversão à contestação. Já há largos meses, como então aqui comentámos, Sua Eminência o Senhor Cardeal Patriarca de Lisboa, na sequência das grandiosas manifestações populares de 15 de Setembro passado, pregava às suas ovelhas em Fátima: “Não se resolve nada contestando”.

A direita é e sempre foi assim. Não tem emenda. Juntam-se, para excomungar a diabólica “contestação”, o “Trono” (salvo seja) e o Altar.

Comentários

AA disse…
Entende-se, que advenha, da mesma estrutura, que reage a uma greve de professores, e depois de confrontado, com a negativa, emanada de um órgão, de soberania, os Tribunais. Avisando, que vai mudar a regras do “jogo”, i.é. que vai mudar a Lei, que não serve os seus intentos. Intentos, que consubstanciam, o governar, não pela razão ou adesão do Povo, mas antes sim pela imposição da força, seja da carga policial, seja a dos impostos desproporcionados ao rendimento das famílias, visadas, seja pela constatação, do desemprego já reinante, seja ainda pela ameaça, do seu aumento, tendo agora, na mira, em primeira linha, os funcionários, da administração pública.

Não tendo em mente qualquer reorganização, da administração, central, indirecta ou local antes sim o corte cego, à semelhança, do que vem fazendo, nos privados, que atira à insolvência, sem perceber, que sei produzir, sem criar trabalho, está apenas a aniquilar, a economia, interna e claro reflexamente, a colocar a balança de transacções correntes, numa derrapagem, cada vez menos capaz de ser recuperada.

Perante este “filme” claro, que não pode Gaspar, ou Maduro, gostar da capacidade que o Povo, ainda têm, de contestar, até porque nada é dado ao Povo, que mereça o seu apoio. E neste particular, não espanta, que qualquer elemento do Governo, tenta-se proibir, a Greve a manifestação de Rua, ou chame mesmo á liça, o lápis azul, para amordaçar de vez a expressão popular. Já nos espanta a água benta lançada, pelo senhor cardeal de Lisboa, pois não se descortina, no que é visível, qual a vantagem que o mesmo vê, para os católicos, não reivindicarem, os seus legítimos direitos, ou há outros interesses por debaixo do pano, ou pretende trocar as ovelhas por carneirada?
Jorge Antunes

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?