Faltam 4 dias para a celebração do 40.º aniversário do 25 de Abril

Só alguém que é supinamente perverso, e que exonerou a ética do comportamento, pode ter saudades da educação com que a ditadura formatava imbecis, néscios e bajuladores.

Há quem pense que a educação se destina à perversão do carácter, ao amolecimento da coluna e à lubrificação das articulações dos joelhos, quem considere de excelência as mentiras sobre os nossos antepassados e a transmissão do ódio coletivo em relação ao país vizinho, quem prefira a discriminação de géneros à igualdade entre o homem e a mulher, quem veja na coeducação, que Abril introduziu, uma ofensa à moral e aos bons costumes.

Foi nessa escola salazarista que se formaram muitos dirigentes atuais, subservientes aos poderosos, e déspotas para com os fracos e oprimidos. Aprenderam os afluentes dos rios e as linhas dos caminhos de ferro, mas não aprenderam o respeito pela emancipação dos povos e o amor à democracia, decoraram as serras e os ossos do corpo humano, mas não descobriram como endireitar a coluna e formar o carácter.

Sabemos que foi penoso, para quem julgava ser de uma casta superior, ver os filhos dos pobres nas universidades onde eles tiraram cursos com equivalências, diplomas falsos e passagens administrativas. Havia nos fascistas dissimulados exageros que a consciência malformada exigia. Os militares de Abril, a quem devemos a liberdade, pouparam-lhes o julgamento aos pais, vingam-se deles, agora, os filhos.

Esses ressentidos que, na desorientação da Revolução de Abril, gritaram «nem mais um soldado para as colónias», são hoje os algozes do povo que desfrutou a liberdade de que esteve arredado 48 anos. São ressabiados que exultam com a destruição do estado social e o empobrecimento coletivo do povo que detestam. São os coveiros da saúde, educação e segurança social.

Faltam 4 dias para lhes arremessarmos cravos e gritarmos canções, para lhes dizermos que o problema será deles, perante a indiferença que sentem e o ódio que destilam.

Comentários

septuagenário disse…
Penso...penso apenas, não afirmo, que a redacção deste post está feita para mais velhos entenderem.

Também se deve escrever para gente que não viveu, apenas ouviu falar, para quem será difícil decifrar ideias subentendidas.

Só penso, tenho medo de ser disléxico.
e-pá! disse…
E ainda existem por cá os 'saudosistas' aqueles que conseguem ver na escola do antes do 25 de Abril um 'ensino de excelência'.
Não admira porque, na realidade, são os mesmos que viram nas mãos de Bush (e da CIA) as provas de 'armas de destruição maciça'...

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …