Passos Coelho e mais um tiro no pé...

O reitor da Universidade de Coimbra, João Gabriel Silva, criticou, esta noite, em Coimbra, os milhares de milhões de euros do Fundo Social Europeu que "foram deitados à rua para alimentarem pseudo-formações" link.

Haverá muita gente (e organizações) neste País que enfia o barrete. As formações subsidiadas pelo Fundo Social Europeu floresceram, em Portugal, como cogumelos na época de chuva e muito tem sido dito e escrito sobre o assunto.

Mas, para além do nevoeiro que esbate os responsáveis, na calha está Pedro Passos Coelho que, de braço dado com o companheiro da JSD e seu actual ‘conselheiro’, Miguel Relvas e através da empresa Tecnoforma, são indiciados de terem abotoado uns milhões de euros do Programa Foral para ‘formar’ 1063 técnicos de aeródromos e heliportos municipais. Um caso que dorme tranquilamente à sombra de uma morosa investigação do Gabinete de Luta Anti-Fraude da União Europeia (OLAF). link. Aguardemos sentados o resultado desta investigação

De concreto, para já,  em relação aos resultados e interesse destas ‘formações’ promovidas pela Tecnoforma, sobressai o facto de, uma vez no Governo, Passos Coelho, ter desamparado os seus formandos e determinado o fim dos voos domésticos para e aeródromo municipal de Bragança link

O actual primeiro-ministro contará com as mordomias pós governativas e não pensa regressar à Tecnoforma que, entretanto, declarou a insolvência link.  Estamos, portanto, perante um típico autor de um dos tais desperdícios, referidos pelo reitor da UC. E que agora aparece com um seráfico sorriso a condenar a utilização dos fundos europeus nos seguintes termos: "Durante muitos anos, utilizámos os fundos europeus para realizar infraestruturas que se consideravam importantes para o país, e hoje sabemos que muitas delas não eram, de facto, importantes para o país…" link.

A típica expressão popular ‘fala o roto do esfarrapado’… ou, simplesmente, um tiro no pé.

Comentários

Agostinho disse…
Se este retângulo fosse um país a sério o discurso teria sido:
-durante muitos anos utilizámos os fundos europeus, eu próprio o fiz indevidamente e por esse motivo peço a demissão do cargo que ocupo; entrego-me à justiça para apuramento das minhas responsabilidades.

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …