Confio no povo, como sempre

O Presidente Hugo Chávez anunciou, na sexta-feira, que o seu Governo prevê até 2021 que a Venezuela se transforme numa "República socialista" e sublinhou que se manterá no poder "até que o povo e Deus queiram".

Comentário: Após eleições honestas, a tentação autoritária, o populismo e a deriva ditatorial.

Comentários

Anónimo disse…
CHAVEZ.

Concordo com o que diz o prof. CE. Este CHAVEZ é mais um para atraiçoar a democracia. Estes políticos sem categoria deveriam ter preocupação de mostrar serviço. Mas não,promessas e mais promessas... apenas.

Zézé.
matarbustos disse…
que eu saiba, a venezuela ainda é uma democracia, contempla a liberdade expressão e o respeito pelos direitos humanos. provem-me que isto não é verdade.

o que não é decerto verdade é que chavez não cumpre o que promete; pelo contrário, o azedume em torno da sua política deriva do facto de ele pôr em prática o que promete, isso é que tem realmente incomodado os seus opositores.

isto não significa que eu não tema pela democracia na venezuela, mas desde que se continuem a verificar eleições livres (e não há nada que nos leve a pensar o contrário), só posso entender tanto alarmismo no contexto de oposição ideológica às suas políticas de fundo.
mas a ideologia confronta-se com ideologia e não com vagas acusações de populismo e autoritarismo, características que chavez partilha com o presidente mexicano (só para citar um exemplo), mas que não incomoda "ninguém" com a sua política económica submissa aos ditames do FMI e do BM.
Anónimo disse…
Há nisto um problema ainda irresoluto: a história mostra que qualquer poder sem freio, ou corrompe, ou ensandece.
matarbustos:

Completamente de acordo com o que diz (em tudo) se... «desde que se continuem a verificar eleições livres».

É aqui que a nossa fé se separa.
Anónimo disse…
Senhor Engenheiro Carlos Esperança:

De facto, este Senhor Hugo Chavez é um democrata, é um verdadeiro Socialista. Nota-se pelo seu discurso fluente, honesto e correcto...
e-pá! disse…
CE:

Eleiçoes livres é fundamental. Mas não basta.
Neste momento, há indícios graves de constrangimentos ao nível da liberdade de expressão. Refiro-me à comunicação social, nomeadamente em relação às TV's que escapam ao controlo governamental...
Sem isso - sem liberdade de expressão - não há eleições livres!

Finalmente, estou de acordo com "matarbustos" - este não é um problema exclusivo da Venezuela. Esse facto só faz acrescer as legítimas preocupações dos homens livres.
Manel disse…
Chaves é um populista e demagogo, o que o torna um perigo potencial.
A demagogia alimenta-se da ignorancia
Sonhador disse…
Para todos aqueles, que em Portugal, não estão contentes com o regime, talvez um chavez, mas com a ideologia do Estado Novo. Quem sabe o que o futuro ainda nos reserva. Tivéssemos nós fora da U.E e já tínhamos um nova ditadura em cima e as liberdades cerceadas. Pobre povo o nosso, que só vive da nostalgia do passado e se esquece depressa por aquilo que passou. Triste povo que nem governa, nem se deixa ser governado, a não ser em ditadura.
ahp disse…
"O povo e Deus..."
Onde é que já ouvi isto?
Cheira-me a esturro...
Anónimo disse…
Chavez nacionalizou, tomou medidas com grande alcanse social...ganhou a confiança do povo fácilmente, daí as vitórias eleitorais.

A Venezuela é um país com fortes desiquílibrios sociais, a política de Chavez vai no sentido de maior justiça social...

O Mercosul, está em andamento...os países da América Latina, vão crescer, os seus povos merecem.

A democracia contínuará e o povo terá a barriga mais cheia...

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita