Uma alternativa à FRETILIN?

A FRETILIN tem um passado de luta contra a ocupação indonésia de que se pode orgulhar.

Governou o país com relativo (in)sucesso nos primeiros anos de democracia desta jovem nação. Optou por não fazer alianças. Arriscou governar sozinha.

É o partido hegemónico em Timor-Leste, sempre com mais de 60% dos votos.

Mas sente-se que uma parte importante da sociedade timorense busca uma referência alternativa. Assim se compreende a passagem de Ramos Horta à segunda volta das presidenciais.

Xanana Gusmão não abandona a vida política e apadrinha a formação de um novo Partido.

Um segundo Partido forte é sempre uma boa notícia em qualquer país!

Comentários

e-pá! disse…
Embora Timor não seja Portugal e os acontecimentos políticos não se possam clonar - os povos tem identidades diferentes - a situação que se vai desenhando em Deli, faz-me lembrar Ramalho Eanes e o seu malogrado PRD.
Manuel Norberto Baptista Forte disse…
Claro que as pessoas quando não concordam devem manifestar a sua opinião, e até serem consequentes até onde puderem ir, ou para tal tiverem vontade.
Alternativa à FRETILIN, claro, se se acha que houve um desvirtuamento de todo um passado e programa de acção, porque não ?.
Contudo, haja sensatez para se perceber determinadas "proximdades", físicas e políticas.
Sabem, é que o mar de Timor LoroSae, É ... muito rico.

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita