Espaço dos leitores

Bernini: Apolo e Dafne

Comentários

Anónimo disse…
daqui a um bocado vou por aqui uma história que não menciona nomes e que o senhor Carlos Esperança está sempre a apagar.
Confesso que já a escrevi em situações nada relacionadas com o post mas noutras fazia todo o sentido.
Esperemos que seja desta, no espaço do leitor («um lugar de livre opinião» segundo as palavras do próprio)
O que daqui a pouca a consiga colocar e alguem a vir.
Agora sei que ele tá à coca.
Anónimo disse…
Senhor Carlos Esperança,

ponha cobro ao facto do Andre Pereira deixar post pouquissimo interessantes aqui no Ponte Europa e duplicar no seu blog pessoal.
É entediante e fica-se com a sensação de que não existe qualidade neste blog.

Don Vito Corleone
Anónimo disse…
Gostava também de mencionar que os despiques entre o senhor Carlos Esperança e Andre Pereira para ver quem deixa mais ''postas'' por dia, não favorece nada as discussões que no meu caso são o que me tem trazido frequentemente a este blog

Don Vito Corleone
Carlos Espererança disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Delegado de Propaganda Médica disse…
Conhecemo-nos de algum lado?
Senhor Padre disse…
Ó Carlitos,

tu no seminário não eras assim meu filho.
Socrates disse…
Carlitos,

Tou a gostar da forma como me amas.
Precisas de que?
«Carlos Espererança said...
Se começamos aqui a usar os nomes uns dos outros isto descamba para a parvoice.

Seg Abr 30, 09:39:00 PM»

Comentário: A apropriação de identidade alheia, como no caso referido entre aspas, revela falta de dignidade cívica e de carácter.

«O texto citado corresponde ao comentário apagado».
Anónimo disse…
tem toda a razão, e peço desculpa por ter usurpado a sua identidade.
Peço-lhe também que apague o seguinte comentário:

''E já agora. Queria só dizer que eu sou um atrasado mental''

Por alguém se ter também apropriado da minha.
Acho justo.

Don Vito Corleone
Anónimo disse…
REGALIAS SOCIAIS.

À ANA,

Nos noticiários do dia de hoje foi dito que o Governo ia acabar com algumas regalias sociais `afunção pública. Mas um Governo socialista não é para aumentar essa coisa...

Em que ficamos?

ZÉZÉ
ban'ANA disse…
Se tivesse berço não faria essa pergunta.
Saberia que não se fazem perguntas incomodas.
Anónimo disse…
Senhor Carlos Esperança,

Quero agradecer-lhe por ter acedido ao meu pedido,
e mais uma vez pedir-lhe as minhas desculpas.
Tal acto deveu-se somente para tentar sensibiliza-lo da usurpação de identidade que tinha sido cometida contra mim.

Don Vito Corleone
ana disse…
"Nos noticiários do dia de hoje foi dito que o Governo ia acabar com algumas regalias sociais `afunção pública. Mas um Governo socialista não é para aumentar essa coisa...

Em que ficamos?

ZÉZÉ"

Zézé, deve fazer essa pergunta ao governo e não a mim. Mas caso nunca tenha reparado, o funcionalismo público está a léguas de distância do privado.O que o governo tem feito é apenas tentar igualar os dois sectores. O que é muito justo.Cavaco fez e alguém um dia tinha de desfazer.
Anónimo disse…
MAIS UMA VEZ PARA ANA.

Bom dia.

Em primeiro lugar:"VIVA O PRIMEIRO DE MAIO"

Depois, vamos lá:

Perguntar essas coisas ao Governo, como sugere que faça, dá muito trabalho e poucos resultados. Não estou para isso.

Quanto às léguas de distância que diz estarem os sectores um do outro, eu penso que a distância é favorável ao privado(quer dizer podem ter vencimentos muito mais altos), porquanto o máximo da tabela destes vai mais longe do que a dos fucionários públicos.

Daqui não ser lógico cortar aos funcionários do Estado. Eles disseram qua iam poupar um milhão e tal de euros.

Você diz:"O que o governo tem feito é apenas tentar igualar os dois sectores."

Pergunta-se: mas o governo já pode fazer isso?... ,mandar o Belmiro pagar 5 em vez de 8?

E continua dizendo:" O que é muito justo." ~Eu não acho justo que o Governo venha retirar regalias obtidas no passado. Isto é malvadez e ciumeira.

E diz ainda:"Cavaco fez e alguém um dia tinha de desfazer." NÃO, CAVACO FEZ ESTÁ FEITO"

Ou não será assim?...

ZÉZÉ
ana disse…
Zézé
"Quanto às léguas de distância que diz estarem os sectores um do outro, eu penso que a distância é favorável ao privado(quer dizer podem ter vencimentos muito mais altos), porquanto o máximo da tabela destes vai mais longe do que a dos fucionários públicos."

O mundo não gira à nossa volta, Zézé, é precisamente o contrário. Não é porque as coisas nos afectam que deixam de ser justas. Eu também estou prejudicada (e muito) mas a vida é assim.

Quanto às diferenças entre público e privado, refiro apenas algumas (anteriores às novas regras). E não é o máximo da tabela que conta, é o mínimo. Ou pensa que os patrões pagam pelo máximo? De resto, no privado não há máximo.

Horário de trabalho - FP 35h, P 40h
Idade de reforma (por inteiro) - FP 36 anos de serviço, P 65 anos de idade, ainda que tenha 40 anos de descontos
Saúde - FP ADSE,P Seg. Social
(Devo dizer-lhe que na minha zona, por exemplo, a lista de espera para oftalmologia é de ano e meio e para ginecologia 2 anos. A comparticipação para óculos é, se não estou em erro, 1€ por lente, a armação não tem)
Faltas - P as faltas justificadas (exames médicos, consultas, etc) são, ou podem ser, descontadas no vencimento.
Férias - FP 25 dias, P 22 (podem chegar aos 25, caso o trabalhador tenha menos de 8 horas de falta). Quem tiver tido o azar de, por ex. ter estado com assistência à família 1 semana, só tem 22.
Isto é aquilo de que me lembro agora, mas há muito mais.
P - o vencimento médio é de 600€ e a categoria prof., após os primeiros anos, pode não ter qualquer alteração até ao fim da carreira.E só há aumentos quando o patrão acha que sim. Há empresas onde não há desde 2001.
Cumprimentos e dê-se por feliz.
Anónimo disse…
Ana,

A função publica tem Berço?
Anónimo disse…
Segundo o artigo 35º do código das sociedades comerciais, a empresa metro mondego vê-se à beira da dissolução
Anónimo disse…
"O que o governo tem feito é apenas tentar igualar os dois sectores. O que é muito justo.Cavaco fez e alguém um dia tinha de desfazer."

E então em vez de se legislar para que os privados tenham os mesmos direitos que os funcionários publicos como progresso social, NÂO!!

Tira-se direitos adquiridos aos trabalhadores da função publica!

Não lhes toca, nem eles nem aos seus "boys"...ainda,,porque um dia isto vai mudar..a bem ou...
Kamandrù disse…
ai Ana ANa V/ não sabe do que fala, na privada destribuição de lucros, regalias em emprestimos bonificados(vide bancos)melhor sistema de saude (vide Edp) melhores subsidios de refeição etc etc e a cereja em cima do bolo de um sistema de pré- reformas que permitiu reformar milhares de trabalhadores com menos de 50 anos com a S.S. a pagar o correspondente e a empresa a suportar a diferença até á idade efectiva de reforma. E ficamos por aqui, pois ainda se poderia falar nos politicos carissima , e olhe que isto não é populismo de direita pode crer............
eu vi a luz disse…
QUANDO os FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS ACABAREM QUEM LEVA COM AS CULPAS???????????????
ana disse…
" a cereja em cima do bolo de um sistema de pré- reformas que permitiu reformar milhares de trabalhadores com menos de 50 anos com a S.S. a pagar o correspondente e a empresa a suportar a diferença até á idade efectiva de reforma."

Assim torna-se difícil discutir qualquer assunto. A EDP e os bancos têm sistemas próprios, estão acima da lei geral. Assim como meia dúzia de outras empresas, que fazem a excepção e não a regra.A grande maioria das empresas privadas rege-se pela lei geral.Distribuição de resultados? Quais? Eu conheço 2.
Quanto às reformas, está completamente enganado. A lei do beato Bagão, que vigorou até finais de 2005, permitiu às empresas fazer despedimentos colectivos dando-lhes outro nome. Quem tivesse 55 anos ou mais, 30 anos de descontos ou mais, ia para o fundo de desemprego 3 anos e reformava-se de seguida com o ordenado por inteiro. E a empresa cobria a diferença entre o subsídio de desemprego e o que receberia se estivesse a trabalhar, e que era uma diferença mínima (naquela situação, o subs. de desemprego é praticamente igual ao vencimento). Assim as empresas puderam fazer as limpezas que desejaram com vantagem, porque a percentagem que pagavam à seg, social sobre cada trabalhador era superior à diferença entre o subs. de desemprego e o vencimento.Esta é também uma das razões por que a Seg. Social está como está, mas Bagão era amigo dos empresários e não dos trabalhadores.
Ai, Kamandrú, Kamandrú, todos falam e poucos sabem de quê...
ana disse…
"QUANDO os FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS ACABAREM QUEM LEVA COM AS CULPAS???????????????

Ter Mai 01, 08:48:00 PM"

Não viu luz nenhuma, afinal. Ninguém está contra os funcionários públicos e toda a gente compreende que é mau perder regalias.Mas o que estava em discussão era a diferença entre público e privado.Indesmentível.
Kamandrú disse…
Continua equivocada relativamente ás vantagens proporcionadas aos trabalhadores privados (note-se que falei em casos de empresas de maioria de capitais publicos)e não estritamente privadas.
Agora se foi para agradar aos patrões pouco importa , o que importa é que os trabalhadores sairam com vantagens e sem grande ruido pois foram reformados com vantagens, coisa que não se afigura ir passar-se na F.P. e olhe que está em marcha o maior despedimento colectivo de sempre promovido por um Governo(do povo pra o Povo).
Por isso continuo a dizer que a Ana coloca mal o problema.
eu vi a luz disse…
Há algo maior que o poder que se chama justiça.

A.Malraux
Eu vi a luz disse…
Age como se fosses cidadão e legislador ao mesmo tempo.


E.Kant

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita