Momento de poesia


RESISTENTES


Trouxeram da clandestinidade
a sombra líquida dos dias ...

Nos ossos quebrados do silêncio
ergueram o mito
à distância do desejo ...

E nem os desenganos do destino
fizeram quebrar esta esperança ...

(E uns tantos
saíram à rua de punho cerrado e erguido
mas esbarraram na esquina
com a sombra do esbirro ...)

Alexandre de Castro - Lisboa, Fevereiro de 1993

Registado: IGAC/MC- 5467/2004

Comentários

space_aye disse…
Um belo poema.

Mensagens populares deste blogue

Vasco Graça Moura

A lista VIP da Autoridade Tributária