Carta a Galileu Galilei (n. 15-02-1564)


"Eppur si muove!"

Galileu, ontem foi o teu dia de anos. Na sabedoria dos teus 449 anos deves agradecer ao Papa a missa com que celebrou o teu 445.º aniversário. Não sejas ingrato, repara que foi a primeira em séculos de defunção, foi de borla, e talvez em latim, para não atrapalhar o teu entendimento com o italiano moderno. Foi missa solene, daquelas que só se rezam por mortos poderosos. Quem sabe se essa missa não lhe custou a tiara, 4 anos depois.

Foste um felizardo, Galileu Galilei, não foste queimado vivo como Giordano Bruno que também escreveu heresias e a quem ainda querem derrubar a estátua. Não, eu não falei da estátua, daquela horrível tortura a que o Santo Ofício, a PIDE e outras polícias recorriam, referia-me à figura inteira, em pleno relevo, que representa um homem, pode ser em bronze, granito, terracota ou mármore, sim, ou dessas que o Santo Ofício usava para queimar quando lhe fugia o herege.

Eu sei que não sabes, como pode um cadáver saber, mas 350 anos depois da morte, o teu processo foi reaberto e bastaram sete anos para te reabilitarem. Hoje a Terra já é redonda, até para o Vaticano, e gira, mesmo com este Papa, e passas a ter uma estátua nos jardins do Vaticano. Não digas que não é grande a misericórdia dos ungidos do Senhor!

Já te absolveram há mais de uma década e tu, ingrato, não curas um cancro a uma freira nem a moléstia da pele a um médico do Opus Dei, és mal-agradecido, podias chegar aos altares, não faltaria quem te rubricasse um prodígio nem padre postulador para te elevar à santidade, podias até virar colega de S. José Maria Escrivà.

Não rias, é vulgar importar do Inferno um excomungado e exportá-lo para o Paraíso. A agência de viagens celeste faz mudanças, não calculas como evoluíram os transportes, o ex-prefeito da Sagrada Congregação da Fé, como agora se designa o santo Ofício, será o Papa até ao fim do mês e já nomeou uma escolta para transferir Monsenhor Lefebvre.

Hoje, Galileu Galilei, já não há incompatibilidade entre a ciência e a fé, esta é que ainda abomina a primeira, mas já se sabe que deus, na sua infinita sabedoria, no desenho inteligente que concebeu no estirador celeste, andou a espalhar fósseis para pôr à prova os que duvidam que, há exatamente 6017 anos, criou do barro Adão e Eva e do nada fez todas as coisas.

Galileu Galilei, larga o túmulo e, da tua Florença, corre a Roma e agradece ao papa a missa solene e a estátua e diz-lhe que há séculos que deixaste de incomodar a fé com as tuas heresias e que nunca mais farás uma descoberta que prejudique o brilho da tiara e o conforto do camauro.  Mas apressa-te, tens 12 dias.

Comentários

e-pá! disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
e-pá! disse…
O hermético, intrigante e obtuso 'imbróglio do Vaticano' que está no centro da resignação de B-16 (embora permaneça envolto em 'mistério' - um terreno predilecto da ICAR) não passará por um facto que não mereceu grandes referências e análises na comunicação e redes sociais: a nomeação de um novo responsável pelo IOR (Banco do Vaticano)?
Ernst Von Freyberg - um cavaleiro de uma ordem religiosa-militar católica e um homem da indústria naval de guerra germânica - vai substituir Gotti Tedeschi, um homem da Opus Dei, e o último ex-presidente do IOR, acusado de ter cometido irregularidades e de violar as leis italianas (contra a lavagem de dinheiro) objecto de um processo de averiguações desde 2010 que - ao que saibamos - não conheceu qualquer desenvolvimento.
Ou seja, esta inesperada (no final do 'pontificado') e 'bélica' nomeação, poderá ser o 'oportuno' (divino) epílogo para a investigação em curso sobre as actividades do Banco do Vaticano, ficando por esclarecer em que medida 'ditou' a resignação papal.
De qualquer modo, existe algo nestes desenvolvimentos, ocorridos nos últimos dias, que não bate certo com as tradicionais atitudes 'prudenciais' da Cúria.
Há algo que se move no Vaticano (à volta de quê ou de quem?) que - provavelmente - só Galileu poderia explicar...
Manuel Galvão disse…
Galileu deu um salto na tumba, e mandou um raio que os partisse e um corpo celeste destruir o Vaticano. Para nosso azar este último falhou o alvo, acertou na Russia...

Eu não acredito em bruxas, mas que as há, há...

P.S. No tempo de Galileu não havia pára-raios.

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime