Passos Coelho na Faculdade de Direito de Lisboa


Por mais incompreensão ou animosidade que suscite, repudio a coação física de foi alvo Pedro Passos Coelho. A tentativa de impedir a sua circulação é um atentado ao Estado de direito que ainda resta apesar do seu Governo.

A palestra esteve ao nível do autor e a mediocridade é a sua imagem de marca e a marca do Governo onde o colocaram a fazer de líder.

A contestação dos estudantes, cuja forma rejeito, esteve ao nível do seu merecimento e não espanta. O que surpreende é haver ainda quem o aplauda. A vida está mesmo difícil.

Comentários

Caro Carlos Esperança

Desta vez não estou totalmente de acordo consigo. É evidente que não pretendo que linchem o homem - com isso obviamente não estaria de acordo - mas acho que nem sequer houve coação física. Ele circulou por onde quis, rodeado como estava de seguranças e polícias à paisana. Ninguém lhe bateu.

Agora se ele não pode ir a lado nenhum sem ser protegido por dezenas de seguranças e polícias à paisana a culpa é dele. Ele oprime o povo e os estudantes e estes compreensivelmente reagem. Quem semeia ventos colhe tempestades. Não se trata de um primeiro ministro normal; trata-se de um tirano, que desonra o cargo e trai a maior parte dos que o elegeram.

Por outro lado, quem o manda ir onde não é desejado? A coisa assume foros de provocação. Até o seráfico Prof. Marcelo achou isso.

O que me admira é a excessiva passividade dos estudantes - sobretudo dos de Coimbra - perante a atual situação. A política deste governo relativamente à educação e aos estudantes mais do que justificava uma crise académica como as de 1962 e 1969. Como antigo estudante e ativo participante dessas crises, entristece-me muito esse quase amorfismo. Pior: causa-me uma imensa desilusão o facto de terem eleito Presidente da Associação Académica... um dirigente da Jota do PSD! É certo que não é totalmente correto dizer "elegeram"; mais acertado seria dizer "deixaram eleger", pois a verdade é que a maioria não foi votar, e os jotinhas do PSD de certeza que votaram todos. Mas esse desinteresse por tão importante eleição é muito dececionante.

Um abraço
Horta Pinto
Amigo Horta Pinto:

De facto não encontro quem se solidarize com a minha posição.

Estou isolado mas sinto que cada vez que se ataca (ou tenta) um energúmeno, acabamos por lhe conceder o papel de vítima. E os carrascos não merecem isso.

Na realidade algumas vezes vou pelo lado errado da autoestrada a pensar que são os outros.

Mano 69 disse…
Hummmmmmmmmmmm
Será a PDI?

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime