PANACEIAS E DESPAUTÉRIOS

Os “governantes” que nos desgovernam, como se não bastasse agredirem os portugueses das mais variadas formas, agridem também barbaramente a língua pátria.

No último “Expresso”, Clara Ferreira Alves escreveu um excelente artigo sobre as notórias dificuldades do primeiro-ministro no uso das preposições.

Hoje noticia o “Diário de Coimbra” que o Secretário de Estado do Emprego, Pedro Roque, discursando na Faculdade de Economia de Coimbra sobre as medidas do governo para alegadamente relançar o emprego, declarou que tais medidas “não deixam de ser panaceias”.

Ora, como toda a gente – menos o referido secretário de Estado – sabe, e pode ver-se no Dicionário da Porto Editora, “panaceia” é uma “planta imaginária a que se atribuía a virtude de curar todas as doenças”, e, em sentido figurado, um “remédio para todos os males”.

Não foi certamente isto que  Sua Excelência quis dizer; e o que ele quis dizer não chegou obviamente ao conhecimento dos ouvintes.

O que não percebo é que se convidem indivíduos destes para discursar numa Universidade.

Comentários

e-pá! disse…
Relvas não é exemplar único...
e-pá:

Não é exemplar único mas é dos mais exemplares :)

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime