O Presidente da República e o papa demissionário




«Quero, nesta ocasião, sublinhar a admiração profunda do Povo Português por Vossa Santidade e por um magistério que constitui exemplo de fé e de esperança, na defesa dos valores universais da tolerância e da paz».
CAVACO SILVA - PRES. DA REPÚBLICA

Esta humilhante mensagem podia ter sido enviada por qualquer devoto, mas jamais pelo Presidente da República Portuguesa. Um país laico não se revê na subserviência do seu Presidente para com o chefe do único Estado totalitário encravado num país da União Europeia.

Cavaco Silva pode viajar de joelhos até Roma ou rastejar perante o único teocrata europeu mas não pode ferir a consciência dos ateus, agnósticos, livres-pensadores e membros de outras religiões.

O ato que julga protocolar é a ofensa gratuita e injusta de quem jurou a Constituição e tem o dever de a respeitar, comportando-se como representante de um Estado laico e não como regedor de um protetorado do Vaticano.

Num período de intenso desânimo e falta de amor próprio do País, as palavras de quem não distingue as convicções particulares das funções públicas que desempenha, são um ultraje a todos os portugueses alérgicos à água benta e de pituitária sensível ao incenso.

A atitude do devoto Cavaco Silva é simplesmente deplorável.

Comentários

Reação de François Hollande:« La République salue le pape qui prend cette décision mais elle n'a pas à faire davantage de commentaire sur ce qui appartient d'abord à l'Église », a-t-il ajouté. « C'est une décision humaine et une décision liée à une volonté qui doit être respectée »
Voilá!
A declaração de Hollande é digna e própria de um Presidente de uma República laica.
A de Cavaco é de facto inadmissível.
Mano 69 disse…
É o que dá quando se deixa de utilizar a ética laica, republicana e socialista (não necessariamente por esta ordem)!

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime