CORRESPONDÊNCIA ENTRE SEGURO E LAGARDE

António José Seguro enviou uma carta a Christine Lagarde, presidente do F.M.I., que lhe respondeu.


Não vou pronunciar-me sobre o conteúdo dessas cartas, mas apenas sobre a língua em que foram escritas.

Sendo Mme. Lagarde francesa e Seguro de língua latina, e sendo o francês língua oficial da União Europeia e da O.N.U., porque cargas de água é que se correspondem em inglês?

Torna-se irritante ver todos os dirigentes da União Europeia, a começar pelo latino Durão Barroso, a falar sempre em inglês, como se este fosse a única língua oficial da União. Até os próprios franceses se sujeitam.

Ainda por cima, parece-me que tal acontece não por o inglês ser a língua falada pelos ingleses, mas por ser a língua falada nos Estados Unidos da América, portanto fora da Europa.

Nestes tempos de quase totalitarismo tecnocrático e mercantilista, há que revalorizar a língua de Voltaire!

Comentários

Este comentário foi removido pelo autor.
A História diz-nos que prevalece sempre a Língua do vencedor. Daqui por cinquenta anos, o mundo falará o mandarim. Por falta de consistência do espaço lusófono, não auguro grande futuro à desejada uniformidade da Língua Portuguesa, o que será uma perda irreparável. Atualmente, perante a nossa insignificância, a Língua Portuguesa é a única herança de valor, que nos resta do nosso passado, porque a nossa riqueza, essa esfumou-se nos fumos das novas Índias, por culpa dos homens...

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A desmemória e a dissimulação

Miranda do Corvo, 11 de setembro