Bin Laden

Sempre que aparece, Bin Laden provoca uma onda de pânico em parte da humanidade enquanto outra exulta e anseia por se colocar ao seu serviço, por dar a vida pelo virtuoso e pio muçulmano que desafia os EUA e os países democráticos.

Há naquele biltre, misto de Urbano II e de Hitler, a demência e a maldade de ambos e o mesmo poder de sedução que o converte em condutor de massas, no Messias que os crentes aguardam, no profeta em que acreditam as multidões famintas, humilhadas e desesperadas, vítimas de uma civilização falhada e das teocracias corruptas.

No entanto o místico assassino dirige uma cruzada contra os infiéis - todos os que não lêem o Corão a seu jeito -, com a mesma fria violência com que o Papa Inocêncio III mandou massacrar os cátaros. E não lhe faltará determinação para, à semelhança de Arnaldo Amalarico, em Béziers, quando houver dúvidas sobre quem é ou não é infiel, decidir: «Matai-os a todos. Depois, no Céu, Deus distingui-los-á».

Não tenhamos ilusões. Bin Laden converteu-se num ícone que a rua muçulmana adora. Ele não é apenas o estratego que conduz uma guerra gloriosa, é o justiceiro que vai derrotar os maus e conduzir os seus devotos ao paraíso, aos rios de mel e à volúpia das 70 virgens cansadas de esperar.

O frio e cínico devoto é hoje um fenómeno de massas, o ideólogo de milhões de crentes, o mártir que fanatiza e seduz franjas de todos os estratos sociais, em todas as latitudes, sem exclusão de raças. Ele representa uma ideologia planetária, é o apóstolo do único Deus verdadeiro que um rude pastor de camelos importou para regiões tribais com erros de tradução e hábitos de brutalidade.

O fascismo islâmico é uma mancha de óleo que alastra em todas as direcções. O Corão é o Mein Kampf da horda de assassinos beatos e Bin Laden o seu Führer.

Comentários

e-pá! disse…
CE:

Duas perguntas, inocentes, que não adiantam muito para o caso, mas poderão ajudar a entender o "caso" Bin Laden.

1. Quem o "alimentou" durante anos?

2. Quem pode queixar-se de, a meio do negócio, lhe ter perdido o controlo?

Não se deve falar em Bin Laden sem recordar isto.
Anónimo disse…
e-pá:

As perguntas não têm nada de inocente. Todos conhecemos o papel da CIA.

No entanto, reitero tudo o que disse neste post.
Anónimo disse…
Sem duvida que se Bin Laden está em liberdade é porque os EUA o permitem já que não é compreensivel que alguém se consiga esconder por tanto tempo de uma tão grande rede de espionagem internacional.

Acredito que a sua prisão é um processo a ser gerido para nova vitoria dos republicanos nas proximas eleições.
e-pá! disse…
CE:

A minha adenda não tem nada a ver com o conteúdo do post, que subscrevo.

Bin Laden qual "Hidra de Lerna" é um monstro criado por alguém, ou melhor, pela concorrência de múltiplos factores ou oportunidades (político-militares e económicas, entenda-se).
Não (só) por Allah ou pelas leituras do Alcorão.
As suas múltiplas cabeças, activas por todo o Mundo, vão sendo combatidas à custa de vidas humanas, e a cabeça central, como consta na mitologia, mantêm-se, indemne.

Era só esta achega.
Vítor Ramalho disse…
Quem o criou foi o imperialismo sionista americano.
Confundir O Bin Laden com a relegião é como confundir a estrada da beira com a beira da estrada.

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime