PS - Emendar a mão




O novo diploma sobre a orgânica da GNR foi aprovado, esta quarta-feira, pelor PS e PSD, com a abstenção do CDS-PP e o voto contra das restantes bancadas, depois da primeira versão ter sido vetada pelo Presidente da República. O ministro da Administração interna assinalou o «consenso» que permitiu a aprovação da nova lei.


Nota: O presidente da República tinha razão.

Comentários

Anónimo disse…
Não conheço ainda a versão definitiva. Mas receio bem que, apesar das alterações, tenha sido aprovada uma má lei. Uma lei que reforça a centralização do comando, extinguindo os comandos de brigada territorial (regionais); uma lei que aumenta o já sobredimensionado comando-geral da Guarda, com prezuízo para o serviço policial;uma lei que aumenta a diversidade e especialização das unidades em vez de promover a integração das actividades funcionais, com prejuízo para a coordenação e maiores custos de sustentação; uma lei que consagra claros desequilíbrios nos comandos das unidades; enfim, uma lei que vai em sentido contrário à modernização e maior eficácia da Guarda.
Anónimo disse…
Tenho algumas dúvidas de que a "nova Lei", responda com assertividade ao que se deseja para a G.N.R..
Agora a gaffe que ela continua a ter, pelo que ouvi ontem no TeleJornal à noite, é continuar a Guarda Nacional Republicana, a ter um Estatuto Militar.
Pergunto, a quem serve a continuação desse Estatuto, e em que difere a acção desta Força de Segurança, da da Policia de Segurança Pública (P.S.P.)? Não bastaria com carácter Militar termos só as Forças Armadas nos seus três ramos?.
e-pá! disse…
Primeiro, vamos ver o que diz o PR às emendas introduzidas.

Pelo excessivo rol de considerações emanadas da PR fiquei convicto que o processo deveria voltar praticamente à estaca zero.

É o que sucede quando se escreve um texto e se mostra a um revisor que risca e propõe emendas em quase todas as linhas. O melhor será sempre, reflectir sobre a generalidade do conteúdo e elaborar um novo texto. Ou então insistir no original com os riscos de sair incoerente, inconguente, sem coesão, enfim correndo sérios risco de ser um mau documento (legislativos, neste caso).

Em minha opinião, existiu demasiada "pressa" no ultrapassar deste assunto.
Diz o povo: as cadelas apressadas têm os filhos cegos".
Esperemos pela leitura da nova versão, do PR e dos cidadãos.
Anónimo disse…
O PS está de parabens,por ter levado o PSD ao consenso.
Provada fica, a profunda ignorância da classe politica, em particular na AR. Será da habitual irresponsabilidade da classe?
Uma nova Lei Orgânica da GNR, sem ogensa para os leitores e contribuintes,
ao nivel de uma boa «bosta».

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime