PSD – 6: GRUPOS E ENTOURAGE

Vamos assistir a muita coisa semelhante ao que aconteceu em 2004-5, até porque é gerada pelas mesmas causas, em particular por uma "pressa" do poder que é cega à realidade, do país e do estado do partido. Mas há diferenças essenciais, e algumas são para pior. Santana Lopes era um solitário, o seu grupo de fidelidades muito pequeno; Menezes tem uma entourage considerável e, para usar de um eufemismo, muito pouco recomendável. Eduardo Dâmaso descreve-a no Correio da Manhã como "uma verdadeira galeria de horrores, figuras cuja credibilidade já não é recuperável, mas é com eles que o PSD histórico e profundo vai ter de lidar". Pelos vistos ele tem memória, a mesma memória que falta ao Diário de Notícias, cujos artigos sobre o PSD não só parecem que são escritos por quem não sabe do que e de quem está a falar, como abundam de erros factuais. A memória vai ser importante, uma memória que está associada à série de escândalos que precipitaram o fim dos governos de Cavaco Silva e que o tornou tão frágil ao Independente. O PSD pode ser indiferente a esta memória e aos seus personagens. Eu não sou.

09:43 (JPP) in «ABRUPTO» por José Pacheco Pereira

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os incêndios e a chantagem ao Governo

Vasco Graça Moura