Bush confunde o povo português com Barroso

*
*
Sócrates preferiu ignorar o assunto - como devia.

Comentários

Anónimo disse…
Ignorar?Tá a brincar,concerteza!Basta ver os art nos jornais para descortinarmos a plena concordância de pontos vista com o bush.já agora poderia-nos apontar as as diferenças com o outro lado do Atlântico?
Anónimo disse…
Ignorar como devis?
CE consegue ser mais cego que o mais fanático dos socialistas.
Anónimo disse…
Devo ter um vírus no computador e fui parar ao berloque do Gato Fedorento... :D
Anónimo disse…
Caros anónimos:

Basta ler o artigo do DN para que o link do título do post remete.

De qualquer modo desconheço a cumplicidade de Sócrates no crime da invasão do Iraque.

Se souberem da sua cumplicidade, avisem.
Anónimo disse…
Gostei quando no seu inglês (técnico) Sócrates referiu que uma das necessidades é a resolução do "Middle West problem"... Estaria a referir-se a Bush?!?
Suspeita, muito suspeita, foi a observação final de Bush, dizendo que JS seria sempre bem-vindo na Sala Oval. Lembram-se de Monica Lewinsky?!? :)
Anónimo disse…
CE,
Para que conste as ligações são para o JN...
Creio que o título é abusivo.
Além disso não se esqueça as velhas máximas: quem cala consente ou o respeitinho é muito bonito?!?
Anónimo disse…
Anónimo Ter Set 18, 04:57:00 PM:

A sua linguagem estará à altura da sua dignidade pessoal mas não a repita.
Anónimo disse…
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse…
O comentário eliminado cabe no «Espaço dos leitores».

O post foi mero pretexto para ataques despropositados em relação ao que se discute.
Anónimo disse…
"A sua linguagem estará à altura da sua dignidade pessoal mas não a repita."
Será que noto, implícita, uma ameaça?!?
V. Ex.a anda muito sensível.
Sei que são temas que o incomodam e que não lhe permitem dar largas à sua verve. Paciência!
Ah, caso não saiba (o que não creio), :) significa gracejo, piadola, etc.
Anónimo disse…
Anónimo Ter Set 18, 07:46:00 PM:

A única ameaça é a de apagar os comentários alheios ao assunto do post ou cuja linguagem seja demasiado grosseira.

Não faço ameaças e, muito menos, a quem se esconde no anonimato para usar a «piadola» como ofensa pusilânime.
e-pá! disse…
Uma ida a Washington é um pesadelo para qualquer político.
É quase como ir em visita oficial à Madeira.
Existem locais neste Mundo onde as embrulhadas são constantes... e comprometedoras.
Depois, nem sempre há oportunidade para a reposição das coisas no seu lugar. A posição de convidado em casa alheia é sempre muito delicada (diplomaticamente).
Mas, José Socrates, ao chegar a casa, deveria, pelo menos, esclarecer pelo menos duas coisas:
1.) onde estava (no PS) quando Ferro Rodrigues (lider do partido) se opôs à invasão do Iraque e verberou o comportamento de Durão Barroso?
2.) Explicar melhor - usou essa concepção na conferência de imprensa na CB - o que é isso de política de "cooperação transatlântica" (a mesma terminologia que Barroso usou para se "colar" a Bush na nefasta aventura do Iraque)?

Finalmente, é dificil avaliar Socrates nestas deambulações pelo Mundo.
Ele é o 1º. ministro português ou o presidente em exercício da UE. Representar Portugal (País da Europa) e ao mesmo tempo, por exemplo, a Polónia, poderá ser um exercício de equilibrismo circense (andar no arame) ou, simplesmente, uma missão impossível.

Somar as confusões que proliferam no seio da Europa com as confusões que habitam a cabeça do Sr. Bush é uma autêntica charada.
Anónimo disse…
"Ateísmo parolo e rude"? Nunca vi nenhum parolo ateu!
Anónimo disse…
"A única ameaça é a de apagar os comentários alheios ao assunto do post ou cuja linguagem seja demasiado grosseira."
CE: esclareça-me lá, por obséquio, mas assim como eu seja muito burro - que sou!!!- onde é que o comentário é alheio ao assunto da posta ou onde se acoita a linguagem demasiado grosseira.
Só se for na sua mente conspurcada...
Anónimo disse…
Mais um comentário a censurar pelo Esperança: um ataque despropositado do Fernando Rosas
em relação que se discute...


Fernando Rosas recordou o agradecimento de Bush, no encontro com o primeiro-ministro português na Casa Branca, “ao povo de Portugal por ter apoiado a sua – dele, Sócrates – decisão de ajudar o povo do Iraque e do Afeganistão a perceber a bênção da liberdade”.

“É normal, e até bastante provável, que Bush tenha confundido José Sócrates com o primeiro-ministro que o recebeu, há quatro anos, de braços abertos na Base das Lajes”, considerou, referindo-se a Durão Barroso.

“Que Bush se engane faz parte do dia-a-dia, que o primeiro-ministro português se encolha e não diga nada é toda uma outra história e que merece ser repudiada”, acrescentou o deputado do BE.

“Este Governo é fraco com os fortes e impositivo com os fracos. Não recebe o Dalai Lama, pelas ‘razões conhecidas’, como disse Luís Amado, e cala-se perante o despautério de Bush pelas mesmas ‘razões conhecidas’”, concluiu.
Anónimo disse…
Que falta de espírito democrático, tanto comentário, em parte incerta.

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?