Belmiro dixit: “Cavaco é um ditador…”


Numa entrevista informal à Revista Visão, refastelado na sua casa de Ambrães no Marco de Canavezes, o empresário Belmiro de Azevedo “abriu-se” com a jornalista Cesaltina Pinto. link


Nessa entrevista, Belmiro destacou em Marcelo Rebelo de Sousa, a característica de possuir uma ambiguidade polivalente. Disse: “O Marcelo é um pluri-pluri. Tem dez respostas, todas boas, para a mesma pergunta”.
Na verdade, Belmiro de Azevedo, nas múltiplas intervenções públicas que estrategicamente protagoniza, aproxima-se muito dessas “qualidades” que vê em Marcelo Rebelo de Sousa.
Fala sobre negócios, política geral, educação, etc. como se fosse uma pitonisa. Só que as primitivas pitonisas eram jovens virgens e Belmiro há muito que perdeu a virgindade quer na área empresarial, quer na política. Quando se lê a longa e dispersa entrevista deste grande empresário nortenho, ficamos com a sensação de que o mesmo vive uma incontornável frustração. Sendo, sem sombra de dúvida, “Il Cavaliere (do Norte)”, não conseguiu ser o “Berlusconi português”….
Caso contrário, teríamos uma outra entrevista…

Mas, na entrevista à Visão, a grande cacha mediática foram as suas afirmações sobre Cavaco Silva. Primeiro, revela que teve com o então 1º. Ministro, entre 1986 e 1992, uma relação muito boa.
De seguida interroga: “sabe porque zanguei fortemente com ele?” Perante a achega da jornalista – por causa da privatização do BPA? – respondeu: “Também. Mas isso são erros possíveis…”
E acrescenta: “O Cavaco é um ditador. Mandou quatro amigos meus, dos melhores ministros, para a rua, de mão directa.”.
Para quem critica a falta de rigor em tudo e a todos, esta concepção sobre ditadores é, no mínimo, extravagante,

Até porque, noutro passo da entrevista, interrogado sobre o ditador Salazar afirmou: “Salazar terá feito coisas relativamente importantes até à Constituição corporativa.. Depois tornou-se muito complicado.
Ficamos, portanto, sem saber se ditador é quem manda amigos embora do governo, ou se será aquele que se torna muito complicado. Complicado será, deste modo, um novo eufemismo empresarial para designar a ditadura salazarista. Tomamos nota.
Sem querer ser advogado do diabo – entendo que Cavaco Silva não é um Presidente da República que esteja à altura das necessidades do País - acho que complicado é, de facto, o poder económico intrometer-se na política… Não é?

Um velho adágio português caracteriza e sintetiza esta abrangente, eclética e polémica entrevista:
- não vá o sapateiro além da sovela...

Comentários

Anónimo disse…
Este

é outro louco...

de "sucesso" infelizmente...

outro vergasta-se,

este diz asneiras do altar da vaidade em que se não enxerga...

enfim,

relativo ao titulo deste post,

até teve algum discernimento, pelas piores razões...

Azar do Azevedo...
ana disse…
Ficamos a saber que ele não permite que mandem amigos dele para a rua.E também não gosta de ser contrariado. E do que gostava mesmo, mesmo, era de mandar em todas as áreas. Mas isso não pode ser, que chatice.

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime