O fim do ramal da Lousã

Hoje a automotora rola pela última vez em direcção a Miranda do Corvo. A Lousã já não a vê desde há uns 15 dias. Atravessando o Mondego, o Ceira e o Dueça, permitindo uma vista romântica dos caminhos do interior e servindo muitos milhares de pessoas que diariamente deixam os seus carros em casa e rumam a Coimbra para trabalhar com o conforto, a tranquilidade e o encanto que só comboio pode oferecer.

Prevê-se que as obras do metro, no ramal da Lousã, demorem 2 anos. Dois anos para fazer 28 km...
Por este ritmo, a nova ligação Lisboa-Porto demorará uns 23 anos!

Ainda pouca obra se vê no interior de Coimbra, mas as populações da Lousã, Miranda, Ceira e outros já sofrem com o projecto do Metro Coimbra.

Que não haja dúvidas: acredito nas virtualidades do projecto do Metro Mondego e acho mesmo que deveria haver uma ligação à Geria e a São Silvestre. Mas tenho dificuldades em compreender como se pode encerrar o ramal da Lousã, sem que a restante parte da obra esteja já em curso.

E sobretudo, não percebo porque demora esta obra 2 anos?!

Resta-me desejar que demore realmente o tempo previsto.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?