Gato escondido com o rabo de fora…

Pedro Santana Lopes tem andado numa azáfama a fim de conseguir as assinaturas necessárias para convocar um Congresso Extraordinário do PSD.
Bem, a azáfama não tem sido tão absorvente como isso. Pelo meio ainda arranjou tempo para receber – num ambiente quase sepulcral – uma condecoração (Grã Cruz da Ordem de Cristo) do Presidente da República…
Santana Lopes ao receber a Grã Cruz da Ordem de Cristo levantou, inopinadamente, a ponta do véu sobre a sua reiterada insistência em convocar o Congresso Extraordinário. Partilhou a distinção - que lhe foi atribuída pelo Presidente da República - com os que com ele "serviram o governo de Portugal"...
E “eles”, les compagnons de route da "epopeia" (trágico-cómica) govervativa de Santana Lopes, estiveram em força na cerimónia, incluindo putativos candidatos à liderança como, p. exº., Aguiar-Branco... .

Ao que parece lá conseguiu assinaturas suficientes para convocar o Congresso. Santana Lopes “adora” aqueles ambientes…
Eles permitem-lhe, divagar sobre o "primitivo" PPD, evocar Sá Carneiro, o distanciamento racional de Cavaco, o seu conturbado percurso de autarca, etc, e põe a nu o seu estofo de indefectível partisan das lutas dos bastidores. Não haverá muitos como ele.

O empenho do agraciado Dr. Santana Lopes pela realização do Congresso não foi bem recebido pelos barões do PSD que estavam mais interessados em ”cozinhar” uma solução de compromisso institucional, desenhada (liderada?) pelo Prof. Marcelo Rebelo de Sousa.
Mas - acima de tudo – o que tornava mais incompreensível a sua insistência, era a sua prévia declaração de não ser candidato a líder.
O Congresso seria, portanto, ou um foro de discussão do tipo das tertúlias literárias, ou, uma arena para ajuste de contas do seu falhado Governo, que sucumbiu no meio de desavenças internas em 2005, donde o PSD nunca mais se libertou...

Ontem, Pedro Passos Coelho, em cerimónia concorrida, fez a apresentação pública de um manifesto eleitoral, sob a forma livresca, com o título “Mudar”!

Todas estas movimentações - parecendo independentes umas das outras - são abertura da campanha para a nova direcção do PSD...

Haverá, ou não, conjugação de interesses? As manobras de bastidores já começaram?

Entre os presentes destacava-se uma ampla representação de membros do núcleo duro de Pedro Santana Lopes, como Pedro Pinto, Rui Gomes da Silva, etc.

A partir daí começou a ser inteligível o forcing de Pedro Santana Lopes.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?