Cavaco Silva anda mal aconselhado!


Em dois ou três dias Cavaco Silva conseguiu recuperar a atenção dos portugueses mais distraídos, mais indiferentes, que normalmente têm voto "pendular" e que, portanto, decidem eleições.

Como é que este político das altas esferas, desde 1979, fez essa operação?
1) anunciou que ia dar uma condecoração a Santana Lopes;
2) autorizou (ou incitou) Fernando Lima a dar uma desastrosa entrevista ao Expresso.

Mesmo os concidadãos que só ouvem a abertura do telejornal ou lêem um eventual jornal de uma mesa de café perceberam duas coisas:
1) Cavaco entrou na corrida a Belém e
2) o senhor candidato anda mal (muito mal!) aconselhado e por este caminho fica mesmo pela Travessa do Possolo.

Comentários

Anónimo disse…
Eu acho o contrario,

ele anda mas é, mui bem aconselhado...r+

mais

acho que Cavacu - Lima são "fixes"

e só espero que a senilidade lhes continue a enformar o "thinking"...

abraço
e-pá! disse…
Caro André:

No Público de hoje (última página) link Vasco Pulido Valente, sob o título "A origem do presidencialismo?" publica um excelente artigo, até entrar no parágrafo final, onde o seu pensamento anarco-historicista vem ao de cima.
Todavia, a sua constatação de que "é grande a tentação de reagrupar o bloco conservador à volta do actual Presidente da República" justifica na plenitude a decisão de Manuel Alegre de se lançar, desde já, no combate presidencial, e torna extemporâneos e deslocados os posicionamentos "a quente" de José Lello, Vitalino Canas, etc.

Na situação actual, a Direita tentará inscrever na agenda polítca nacional e numa provável revisão constitucional, a "questão do presidencialismo".

A candidatura de Manuel Alegre responde directamente a estas ameaças de distorção do regime.
Portanto, Manuel Alegre protagoniza uma candidatura constitucional ou, se quisermos, de continuidade do regime semi-presidencialista (o que VPV, como é natural, não subscreve).
.
Graza disse…
Para além de ter que se informar melhor de qual é a zona de produção de cereja!

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime