Meter o pé na poça - uma proposta infeliz



Fundos comunitários não podem ser usados para pagar indemnizações, diz a porta-voz da CE.

Comentários

Anónimo disse…
é a preparação técnico-politica do principal dirigente da oposição e daqueles que o coadjuvam.. é isto Portugal!! "Ai Portugal, Portugal de que é que estás à espera"
e-pá! disse…
Pelo deslize compreende-se que, para o Dr. Marques Mendes, o importante não são as situações para onde se "empurram" milhares de portugueses mas a pressa em proceder a despedimentos na função pública.
Quem o ouve fica com a noção de que os funcionários públicos têm lepra. Não seria melhor - como nos tempos medievos - atar-lhes uma sineta ao pescoço?
Ficamos sem saber se, para o Dr. M Mendes, Portugal é um Estado com uma administração e serviços públicos ou uma gafaria.
Na verdade, a fatia de cerca de 15% do PIB (salários dos funcionários públicos) dariam um geitinho aos "empreendedores" que tem lugar cativo (banqueteiam-se) na mesa do orçamento.
Maior "balda" seria com um Estado desorganizado, em extinção. Á velha maneira anarquista.
A sigla "menos Estado, melhor Estado" é deliciosa! Significa que para os "bons" negócios, a "balda" daria uma boa ajuda.
Construa-se com os cadáveres dos funcionários públicos um altar e, no cimo, coloque-se o excelso mercado (sem regras, selvagem).
Finalmente, utilize-se as imaginárias indeminizações do Dr. Marques Mendes para queimar e perfumar o ar, como se fosse incenso. E, Marques Mendes como "menino de coro" a debitar ladaínhas...para a grande plateia neo-liberal.
Portugal deste modo estava salvo e o PSD algo que fazer!
e-pá:

Excelente post. Tenho pena de não ter sido eu a escrevê-lo. Parabéns.
S. SILVESTRE disse…
... pois o menino MM, "vomita" sem a respectiva "preparação"... cultural/informativa!?...
E depois PIMBA ( o gajo está cá um pimba?!)

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita