Ainda não chegámos à Madeira

O PSD criticou asperamente a iniciativa que visa alargar aos deputados da Assembleia Regional da Madeira o regime de incompatibilidades e impedimentos que vigora para os deputados da Assembleia da República.

O inefável deputado nacional Guilherme Silva deu voz ao descontentamento dos seus conterrâneos.

«O PSD diz estar em causa a unidade nacional» - lê-se no DN, hoje (sítio indisponível).

É a primeira vez que o PSD invoca a diversidade legislativa e a desigualdade perante as leis como elementos estruturantes da unidade nacional.

Ou terá medo da incontinência verbal do soba vitalício da Madeira?

Comentários

Apesar de compreensível, a argumentação utilizada é absolutamente caricata.

Não sei porquê, mas para o PSD o Sr. Alberto João é uma espécie de vaca sagrada.

Seja como for, este é mais um episódio a tornar mais penosa a actual "via sacra" do PSD.

AF - Regionalização
.
os psd's do contenente sempre foram submissivos ao fidel Jardim.....rsrrssr
e-pá! disse…
Afima Guilherme Silva:
- «O PSD diz estar em causa a unidade nacional».

Com certeza! Se os cidadãos portugueses tiveram direitos e regalias diferentes.
Jagudi disse…
O PSD foi sempre o partido que melhor espelha, que melhor sintetiza, as idiossincrasias dos portugueses, no que elas têm de mais negativo.
Os senhores de toda a direita e dos interesses, oportunistas, parasitas e adversários das mudanças indispensáveis na sociedade e na vida dos portugueses, tomaram sempre o PSD como o seu partido. O CDS foi um ovo que não chegou a eclodir.
O PSD fez SEMPRE parte do problema português, nunca fez parte da solução! A única excepção a esta norma, (cada vez mais evidente), foi um senhor do Norte que se chamava Sá Carneiro, e ficou no lugar do Desejado por ter morrido cedo demais.
O próprio P.R. actual, que nunca foi um PSD genuíno, ao fim de dez anos de governo chegou a 1994 e deu-se conta de que estava rodeado dum partido de abutres, de gestores corruptos, de carreiristas oportunistas. Submeteu-os a um ano inteiro de tabu, sem lhes dizer o que ia fazer. No fim tirou-lhes o tapete e deixou-os órfãos.
Até hoje, nunca mais se encontraram, e têm acumulado desgraças próprias e tragédias alheias. Marcelos, Nogueiras, Barrosos, Santanas, Borges, Meneses, não passam de variações sobre o mesmo tema da ignorância, da incompetência, da espertice saloia ou do novo-riquismo carreirista. O cafre da Madeira só se distingue deles porque nunca bebeu chá em pequeno, e eles terão bebido.
Consta que a Ferreira Leite sabe fazer contas. Mas consta apenas, porque se ela soubesse fazer alguma coisa há muito que não estava no PSD.
zarco disse…
Estes comentários só me fazem RIR...

Devem viver aí no Continente no melhor dos mundos...

É um Paraíso! ;)

Não Há Pachorra!
Zarco disse…
Esta expressão: " Já chegámos à MADEIRA " é ofensiva...

O Esperança devia reformular:

" Quem dera a nós CONTINENTAIS chegar a usufruir da qualidade de vida, mesmo sem chegar á ILha da Madeira "

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975