1.º de Maio. Coimbra, há 32 anos

Comentários

Vítor Ramalho disse…
A tropa é bela são “tropias” como estas que dão cabo dela.
Anónimo disse…
A tropa é um instrumento do Estado democrático.

Nos estados totalitários, de que o leitor parece sentir nostalgia, é a guarda pretoriana dos facínoras que se conservam no poder graças à violência que exercem.

Era assim com Salazar, Franco, Hitler, Stalin e Mao. Foi assim com Pinochet, Videla e Mussolini.
Anónimo disse…
Viva a tropa no 1.º de Maio!
E no 10 de Junho!
E no 15 de Agosto!
E no 5 de Outubro!
E no 25 de Dezembro!
Viva a tropa, sempre, sempre a desfilar.
(também servirá para outra coisa?)
Vítor Ramalho disse…
A “tropa” hoje em dia já é diferente daquela que o Carlos sente saudades.
A avaliar pelo seu poste e pela imagem dos SUVs.
Anónimo disse…
Vítor:

Mas ainda vivemos em democracia, embora de má qualidade, por muito que lhe custe.

O fascismo ainda não voltou.
Anónimo disse…
Oh Esperança você confunde tudo. Não leve tão a sério estas bocas. Perceba que também é necessário ter alguma diversão. Se não perceber isto pode cair no ridículo, se é que já não caiu.
Anónimo disse…
Oh Esperança você confunde tudo. Não leve tão a sério estas bocas. Perceba que também é necessário ter alguma diversão. Se não perceber isto pode cair no ridículo, se é que já não caiu.
Anónimo disse…
Anónimo das 5:53 PM:

Eu não caí no ridículo porque frequento o blog referido - declaradamente fascista -, ao contrário do anónimo que não se esforça por conhecer o mundo que o rodeia.
Vítor Ramalho disse…
Por muito que lhe custe em Portugal não existe democracia.
Já agora não sou Italiano.

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime