O Expresso mente


O Expresso recusa-se a desmentir a atoarda posta a correr a respeito de Freitas do Amaral e da sua eventual demissão.

Mesmo que viesse a confirmar-se, o semanário de Balsemão perdeu de tal modo a credibilidade que não recuperaria dos lamentáveis deslizes que tem cometido.

Basta lembrar o anúncio do discurso de Cavaco Silva no 25 de Abril em que os deputados seriam admoestados pelo PR, como se o PR pudesse cometer semelhante deselegância ou o respeito institucional lho permitisse.

Até hoje aguardo que o «Expresso» se retracte. Debalde.

Os factos encarregaram-se de desmentir a intriga.

Comentários

Anónimo disse…
Habituámo-nos a ver na imprensa em geral o 4º poder. E muitas vezes verificámos a sua importância, na denúncia de irregularidades, trafulhices e banditismos vários.
Sem ela tudo seria pior.
Mas convém lembrar que a virgindade é um bem escasso. As disputas de mercado, os conluios políticos, os jeitos ao patrão, umas facaditas na deontologia...
Um olho no burro e outro no cigano ainda é o melhor. Porque sem ela tudo seria pior.
Mano 69 disse…
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Mano 69 disse…
«O Expresso recusa-se a desmentir a atoarda posta a correr a respeito de Freitas do Amaral e da sua eventual demissão.

Mesmo que viesse a confirmar-se,(...)»

Boa Carlos Esperança! Assim é que é, mesmo que o jornal tenha razão vai de qualquer maneira perder a mesma.
Isso é que é o verdadeiro centralismo democrático, espero é que agora e em coerência, deixe de mandar textos para a "coluna do leitor" do EXPRESSO.
A entrevista está gravada, não deve ser muito difícil saber o que o Ministro disse, pode é já não interessar...

De balde ou com qualquer outro recipiente, não é preciso ser adivinho para se intuir que ainda vão cair muitas cargas de água fria na cabeça de alguns governantes, é só esperar que os mesmo abram a boca...
Anónimo disse…
Mano 69:

Mesmo que viesse a confirmar-se,(...)»

Um dia Freitas do Amaral deixará de ser MNE mas o Expresso, como já é claro, confunde um ministro que chega a casa cansado com quem chega a casa cansado de ser ministro.

Isto é um nojo. E é intriga.
Mano 69 disse…
Não é nada intriga, o que é preciso é dar corda as pessoas e elas dizem o que querem e o que não querem nas entrevistas...
Anónimo disse…
Mano 69:

Eu conheço a entrevista e só por má fé se pode tirar a conclusão que o Expresso tirou.

O Expresso tem o direito de alinhar ideologicamente com o dono mas não o fez quando ele era primeiro-miistro e isso deu-lhe uma credibilidade que agora está a perder.
Anónimo disse…
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse…
10:42 PM:

O comentário apagado e os erros de ortografia estão no post seguinte.

A repetição transforma em náusea o que já é lixo.
Anónimo disse…
O Carneiro Jacinto já consultou o Vilar para saber da disponibilidade des para assumir a pasta dos negócios
internos
Anónimo disse…
Best regards from NY! » »

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime