EMPREGO

Número de inscritos nos centros de emprego caiu dois por cento em Abril

Maior quebra homóloga em mais de cinco anos. O número de desempregados inscritos nos centros de emprego caiu dois por cento em Abril, face ao mês homólogo do ano passado. Esta é a maior quebra homóloga verificada em mais de cinco anos, revelam os dados hoje divulgados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP)"-In Público

Mais um sinal claro que as medidas do governo estão a ir no sentido certo, de regresso ao tempo da taxa de desemprego natural (4%) do governo socialista de António Guterres, de onde saíamos por incompetência política do governo PSD/PP de Durão Barroso e Paulo Portas, em que tudo valia para a “obsessão” do “Deficit”, postura, aliás, extraordinária de uma ministra (Ferreira Leite) que uma década antes, enquanto secretária de estado do orçamento deixou um “deficit” a rondar os 10%.

Esta diminuição é tanto mais significativa face à difícil conjuntura internacional, provocada pelo “descontrolo” do preço do petróleo. Força José Sócrates, este é o caminho certo.

Comentários

Anónimo disse…
sem dúvida o melhor primeiro ministro de sempre, determinação, confiança, preparação e capacidade.
Mano 69 disse…
Nada justifica o governo. Mas compreende-se...
Mano 69 disse…
... compreende-se o panegírico partidário vindo de um correligionário.
Quando avaliamos esta situação, não podemos perder de vista dois aspectos importantes:

- Quando comparamos com o ano anterior, chegamos a valores pouco rigorosos, pois o actual modelo de calculo da taxa de desemprego é substancialmente diferente daquele que vigorava há um ano atrás.

- E quanto à comparação com o mês anterior, temos que ter em atenção a sazonabilidade associada ao turismo interno e externo.

AF - Regionalização
.
Anónimo disse…
Muito longe dos prometidos 150.000 empregos pelo Sócrates pormetiodos...

Mas fica bem a um correligionário defender a sua "dama"... eu disse dama???? eheheheeh foi sem querer!
e-pá! disse…
Não estou seguro - e muito menos convicto - que o cálculo do número de desempregados do mês de Abril de 2006 tenha utilizado a mesma métodologia que em Abril 2005.
E se acaso não utilizou os dados não são comparáveis ou, na melhor das hipoteses necessitam de um factor de correcção.
Tenho a vaga sensação de que a taxa de desemprego "homloga" foi "ao ar" a cavalo de engenharias numéricas...(metodologias para o cálculo).
É que não houve (não se sente) na área económica qualquer alteração significativa - nomeadamente na taxa de crescimento - que justifique tamanha diferença. Pelo que ou houve um erro ou mudaram-se as regras do jogo a meio do jogo (o que não é inédito neste governo). Isto é o feeling de um leigo na matéria que necessita de melhor esclarecimento.

Mas o meu profundo receio é que estejamos a DEITAR FOGUETES ANTES DA FESTA!
Anónimo disse…
Fogo de vista...
Sejamos correctos e precisos.
Nuno Moita disse…
Não é fogo de vista..são dados concretos, que transmitem um sinal claro de recuperação económica, embora, ainda, diminuta.
Anónimo disse…
Muito diminuta.... MUITO! Faz-me lembrar o Vitória de Guimarães que depois do BRUXO de Fafe ter feito as suas rezas começou a ganhar alguns jogos, a verdade é que no fim desceu de divisão!!!!
Será o Sócrates Bruxo???? ou será este Nuno Moita de Fafe????
Mano 69 disse…
Nem sempre da moita sai coelho.
e-pá! disse…
Sabemos que a descida da taxa de desemprego se deve ao cruzamento de dados entre os Centros de Desemprego e a Segurança Social.
Logo foram detectados desempregados que descontavam para a Segurança Social de algumas carocas que faziam.
No monento seguinte "passaram" a empregados. Em relação ao período homólogo de 2005, representam 2 %.
Descobriu-se também um País de aldrabice e, cada dia que passa, sente-se que isto sobrevive nas costas de uma "economia paralela". cujas estimativas (não governamentais), seria interessante conhecer.
Em vez de denunciar a aldrabice aproveitou-se o facto para especular sobre as taxas de desemprego.
Qualquer economista sério afirma que com os indices de crescimento de Portugal, a taxa de desemprego vai continuar a crescer até 2008 (pelo menos!).
Os cidadãos deveriam merecer mais respeito por parte destes engenheiros de números.
Daqui a pouco ninguém acredita em nada...
Anónimo disse…
Sr. Moita não esteja tão entusiasmado, porque os números não são tão cor de rosa como apregoa.
A descida teria sido ainda maior se Vi(c)tor Ba(p)tista tivesse ganho a Câmara, porque já haveria menos 20.000 desempregados...
Anónimo disse…
Isso é verdade... "nem sempre da moita sai coelho", no entanto é sempre tão agradável cagar na moita... hummmm, sabe tão bem!!!
Anónimo disse…
Atenção que a moita pode picar...
Anónimo disse…
hummmmmm se for uma moita do género que temos tido por aqui, garanto que não pica, até há quem diga que gosta...

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita