Portugal vai crescer... 1 por selo

Comentários

e-pá! disse…
Não tenhamos dúvidas que o "negócio dos selos" - enquanto durou - fez crescer os €'s para uns ( > 1 %) enquanto outros estarão lixados...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
O post anterior foi apagado por não fazer qualquer sentido.

Ou era prosa demente ou um texto em código de que o Ponte Europa não consente ser veículo.
Mano 69 disse…
Não sabia que o governador pertence ao clube do Tatonas" o chamado "língua de ouro"...
Anónimo disse…
E ninguém fala no Martins da Cruz e no negócio das estampilhas. Ainda se lembram dele? É aquele rapaz que veio de embaixador em Madrid para MNE. Que depois foi tratar de outra vida já que se meteu numa embrulhada para a filha entrar na Universidade Publica. Lembram-se? É o mesmo rapaz que é administrador do negócio dos selos. As televisões só falam de um Português do Carregal do Sal, que ninguem sabe quem é, mas do ex-ministro ZERO. Será que o Carrilho tem razão quanto à seriedade de muitos jornalistas e patrões dos media=
Anónimo disse…
A NOTÍCIA FALA DE UM TAL vASCO lOURENÇO. qUEM É ESTE VASCO LOURENÇO. PORQUE É QUE O RECORTE DO JORNAL NÃO ESTÁ COMPLETO?
UFO disse…
É Vasco Lourinho, pá!
«El escándalo salpica a António Martins da Cruzal, ex ministro de Exteriores de Portugal y anfitrión de la cumbre de las Azores, en la que se decidió la guerra de Iraq. Martins da Cruz había sido embajador en la OTAN, antes de asumir la embajada en España, momento en que condecoró a Figueiredo. Tras su salida del ministerio, Martins da Cruz fue nombrado gerente de relaciones institucionales e internacionales de Afinsa y directivo de Escala, subsidiaria que cotiza en el Nasdaq. La dimisión de Exteriores sucedió al descubrirse el enchufe con que había facilitado la entrada de su hija en la carrera de Medicina».

La Vanguardia, 15/05/2006
Mano 69 disse…
Vasco Lourenço? O do 25 de Abril? Também ele PÁ.
Arroz
UFO disse…
Calma aí, ó Mano 69!
Não vamos agora confundir o género humano com o Manel Germano!
O Vasco Lourinho é um antigo correspondente da RTP em Madrid, aquele que já falava português com o encantador sotaque dos cabrestos de Almendralejos.
Mano 69:

Confundir um herói de Abril e presidente da Associação 25 de Abril com Vasco Lourinho, ex-fascista e ex-correspondente da RTP em Madrid é uma desatenção.
Anónimo disse…
Oh Esperança tens que explicar o que é um ex-fascista. Um fascista nunca passa a ex. É até morrer. Não que é que se saiba.
Anónimo Ter Mai 16, 06:45:06 PM:

Eu acredito na recuperação dos fascistas. Sou como o padre Américo: «Não há rapazes maus».
FONSECAeCOSTA disse…
ano´nimo de Ter,Mai,16,06:45:06
o teu douto palpite "Um fascista nunca passa a ex" e´o exemplo acabado do que e´um fascista, muito
prova´velmente ja´nascido depois do
25 de Abril de 74. Eu que lutei muito por este, concedo-te o direito a pensares como pensas, mas aconselho-te a reflectires melhor.
Anónimo disse…
Meu Caro:
Para sua informação em 74 já tinha feito a guerra colonial. Estou farto de filósofos baratos. Não vale a pena branquear os fascistas. São até morrer. Agora o que o fonsecaecosta talvez não saiba o que é um fascista e confunda fascismo com direita. Recomendo-lhe alguma leitura sobre a matéria.
Vasco Lourinho foi um activista do monimento «Jovem Portugal» que odiava a direita democrática.

Creio que nunca renegou as suas convicções mas eu, na dúvida, chamei-o ex-fascista embora saiba que os fascistas dificilmente se curam.
Mano 69 disse…
É muito "ex".
Será que o Vasco Lourinho também se curou da RTP?

Quanto ao capitão de Abril foi só um trocadilho tipo carrilho (género manuel maria) o género e o génio são diferentes.
Anónimo disse…
Era só o que faltava... ver um genocida, membro do exercito colonialista, a dar lições de democracia e certidoes de identidade democratica. Esse anonimo já esqueceu que o exercito colonial foi o braço armado do Salazar. Sem ele, sem os Otelos y etc. o fascismo nunca poderia ter sobrevivido em Portugal. E conste que essa lenga lenga de que cumpriam ordens não serviu para nada em Nuremberg.Foram assassinos. Genocidas. E criticar agora o Lourinho por ter sido da Mocidade e esquecer que um dos comissarios nacionais da Organização foi o Delgado é como minimo suspeito. E o mesmo com a Pintassilgo, comandante de Falange e deputada da Camara Corporativa. Mas vejo agora como há gente disposta a responsabilizar o Lourinho por uma guerra na qual nunca participou porque - como muitos outros - estava fora nessa altura. Mas o anonimo, esse sim, orgulha-se de ter estado a matar pretos.mas da mesma maneira que um ex fascista se pode transformar num democrata - capitães de Abril, por exemplo - um assassino e genocida é para toda a vida. ZESOLANO
Anónimo disse…
CURIOSO... JA SE LEVANTOU A VEDA E APARECE ALGUEM A FALAR DO PASSADO FACISTA DO GENERAL HUMBERTO DELGADO... EU ACRESCENTARIA TAMBEM QUE ELE FOI O HOMEM DA CIA EM PORTUGAL. E FEZ ALGUNS TRALHINHOS SUJOS...E COMO MEMBRO DO GOVERNO DE SALAZAR, DELGADO FOI EVIDENTEMENTE UM CUMPLICE NECESSARIO DO REGIME.
O MESMO ACONTECEU COM A LOURDES PINTASSILGO. PARA OS QUE JA NAO SE LEMBRAM, LOURDES PINTASSILGO FOI DEPUTADA A CAMARA CORPORATIVA - FUNDAMENTAL NA JUSTIFIÇÃO DO REGIME FASCISTA. ANTES, LOURDES PINTASSILGO FOI COMANDANMTE DE FALANGE, A MAIS ALTA PATENTE DA ORGANIZAÇÃO NACIONAL DA MOCIDADE PORTUGUESA FEMININA E A MAIS CONDECORADA DESTA ORGANIZAÇÃO SALAZARISTA.
E DEVEMOS COMEÇAR A PENSAR QUE DURANTE O FASCISMO NÃO SE CHEGAVA A CAPITÃO SE NÃO FOSSE MATANDO PRETOS... A NÃO SER QUE AGORA QUEIRAM ATIRAR AS CULPAS PARA CIMA DOS SOLDADINHOS ANALFABETOS DE TRAS-OS-MONTES.
Anónimo disse…
Quero dizer aos de fraca memoria que eu manifestei a minha oposição ao regime fascista renunciando a guerra colonial. E nao cumpri as ordens que me deram os oficiais do quadro permanente sobre a guerra colonial. E durante muitos anos estive em Paris enquanto que outros vem agora a armar-se em democratas e dizendo que fizeram a guerra colonial porque cumpriam ordens. E como eu havia muitos outros que se viram obrigados a usar durante anos a etiqueta legal de refractarios e desertores.
E nao me consta que os capitães de Abril, nem o general Humberto Delgado, os Otelos ou os Almirantes, nem sequer o outro Vasco, o Gonçalves, tenham feito nada para acabar com essa situação.Antes pelo contrario.Se regressavamos a Portugal os oficiais do Quadro Permanente das Forças Armadas seriam os primeiros a enviar-nos para prisoes militares.
Desde o 28 de Maio, o exercito foi o braço armado do fascismo em Portugal. Foram eles os cumplices necessarios para que o fascismo sobrevivesse durante meio seculo.
Anónimo disse…
Very cool design! Useful information. Go on! » » »
Anónimo disse…
Eu tambem nao colaborei com o fascismo nem com o genocidio. Passei anos em Estocolmo.Comigo muitos outros portugueses. Nao me venham agora a dar lições de democracia os que ficaram em Portugal a colaborar com a sua cobardia para que fascismo resistisse meio seculo em Portugal. Parece que a guerra de Africa, durante catorze anos, nao foi feita por ninguem... E nao me façam rir com isso de que cumpriam ordens. E por ultimo, os oficiais do quadro eram o fascismo. Sem eles nao teria havido fascimso. Nao teria havidoi guerra colonial. Nao teria existido Salazar.
Anónimo disse…
Eu acho que no proximo dia 10 de Junho deveria ser proposta uma comissão de inquerito para determinar as responsabilidades do Exercito colonial nos crimes de guerraa cometidos no Ultramar. Eu poderia estar disposto a dar os nomes dos oficiais do quadro permanente que estiveram directamente relacionados com o massacre de Wirimu.É bom não esquecer - como dizam neste blog - que nao foram os analfabetos de Tras os Montes nem os do Alentejo os responsaveis pela geurra colonial,. E o Salazar - que volta a estar de moda - não foi o unico responsavel. Há muitos que estao ainda por ai a solta ueeveriam, ter sido julgados e condenados.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975