Sócrates no bom caminho



Segundo o Diário de Notícias, Sócrates reconheceu a derrota e recebeu os resultados com humildade.
Terá dito que o Governo tem que explicar melhor a sua obra e ser mais dialogante.

Se, durante os próximos meses, apresentar outros militantes que possam substituir os ministros autoritários e arrogantes; se conseguir mostrar que percebeu que, em democracia, para ser governante não basta ter preparação técnica, mas é fundamental ter humildade, astúcia e saber político, então, Sócrates conseguirá vencer a corrida a Ferreira Leite.

Depois de Outubro, virá um Governo em minoria, com muito diálogo, muita paciência, muita negociação, muita política que mostrará um outro José Sócrates.

Começou ontem a nova vida de José Sócrates!

Comentários

e-pá! disse…
Caro André:

Existira, com certeza, um "novo" caminho para percorrer se as condições temporais fossem outras...

A inexorável "ditadura" do tempo - as eleições Legislativas para não coincidirem com as autárquicas deverão ter lugar em Setembr! - inviabilizarão a "mudança de estilo" a todo o "speed".

O tempo "útil" de governação desta legislatura, considerados os períodos de férias dos portugueses, pouco excede 2 meses!

É viável "apagar" uma imagem de 4 anos, em 2 meses?

O PS não tem muitas alternativas de mudança dos seus mais deficientes e conflituosos responsáveis políticos, na área gobernamental.

Os "erros do PS" - que Sócrates anunciou enumerar hoje em comunicação ao País - são, na minha opinião tributários da dita "maioria absoluta".
Que, terá virtudes no campo da agilização das decisões, mas fecham o leque do diálogo.

O drama do PS é que se "fechou" na conquistada "maioria absoluta".
As atitudes dialogantes que venham a surgir, agora, serão sempre consideradas "eleitoralistas".

De meados de Junho a Setembro fecha-se um ciclo político. Não se abre uma janela de novas oportunidades.

O PS está, neste momento, mais dependente dos "erros" que o PSD, certamente, fará, do que, esforçadamente, possa fazer para tentar inverter ou infectir o curso da política nacional.

O "aviso" das eleições europeias pode, de facto, ter diversas "leituras".
Terá sido uma mera admoestação à forma de exercício do governo, portanto, transitória e efeméra?
Ou, significa, uma rejeição do modelo de governação?

Este dilema só se resolverá se o PS conseguir deslocar o centro da discussão das eleições para as Legislativas, para o campo político e ideológicos, fazendo ressaltar, neste campo, a vacuidade e a demagogia do PSD.

Portanto, o que poderá ser fundamental para decidir as próximas eleições, será o conteúdo político da proposta de programa de Governo (António Vitorino tem capacidade para o fazer) que será confrontado contra um pragmatismo inócuo do PSD.
Um PSD que perante a crise, se mostra defensivo, não inovador e pouco mobilizável, ou tentando agitar um populismo pela negativa - contra o TGV, contra o aeroporto, contra a "nova ponte - sem qualquer conteúdo inovador, sem nada a favor de qualquer coisa...

A "auto-crítica" do PS em relação ao seu estilo de governação, para ter impacto, teria de ser oportuna.
Nesta altura do campeonato mais parece oportunista... ou, na melhor das hipóteses, uma catarse interna dirigida aos seus militantes e simpatizantes.
polytikan disse…
Vitorino é uma excelente escolha para dinamizar o programa do PS.
Boa ideia também foi colocar um rosto novo como porta-voz.

Em democracia, o povo dá, o povo tira. Muitos se esquecem disto.
O povo farta-se das postas de pescada arrotadas diariamente pelos governantes aos microfones da comunicação social.
A Sócrates recomenda-se uma sábia gestão do silêncio. Como diz o ditado popular, "quanto mais falas mais mentes". Nos políticos, isto vale ao cubo.
O povo, que é soberano, tem agora três meses para aclarar a ideia.
É bom que Sócrates poupe a sua imagem e dê visibilidade à oposição, para o povo ver melhor as alternativas (?).
ahp disse…
"Fazendo ressaltar a vacuidade e a demagogia do PSD"... e os fracassos abolutos dos seus governos, dos quais Manuela Ferreira Leite fez parte, sem deixar quaisquer saudades. Convém não esquecer os rotundos fracassos de MFL como governante.
Mano 69 disse…
O oráculo da Rua Oliveira Matos

«Depois de Outubro, virá um Governo em minoria, com muito diálogo, muita paciência, muita negociação, muita política que mostrará um outro José Sócrates.»

Já agora caro Sr. Pereira fazia o obséquio de me informar a chave vencedora do totoloto para esta semana?

Muito agradecido
Mano 69 disse…
«(...)para ser governante não basta ter preparação técnica,»

Ainda bem que Sócrates é engenheiro... técnico pelo ISEC.

Mensagens populares deste blogue

Vasco Graça Moura

A lista VIP da Autoridade Tributária