TIRO A SÓCRATES

Era este o título do jornal "Semanário" de 6ª feira passada que, em letras garrafais, remetia para uma página interior onde vinha um excelente artigo intitulado "Bombardeamento cavaquista", que salientava a seguinte parte: "O bombardeamento cavaquista a Sócrates intensificou-se esta semana. O dia de ontem, 25 de Junho, logo a seguir à entrevista de Manuela Ferreira Leite na SIC, foi particularmente difícil para o Primeiro-Ministro, de autêntica guerra relâmpago."

O editorial do director do jornal, Paulo Gaião, intitulava-se "A república cavaquista" e destacava a seguinte frase: "O tempo tem vindo a dar razão a Mário Soares sobre os perigos que Cavaco representaria em Belém."

A revista "Olá" anexa a este semanário tinha na 1ª página a imagem da 1ª dama com a legenda "Maria Cavaco Silva, uma mulher de causas". Uma dessas causas é seguramente o PSD. Agora imagine-se a Senhora a azucrinar todos os dias os ouvidos do marido dizendo-lhe: "Afinal tu é que és presidente e o Sócrates é que manda! És um banana! Tens que o pôr na rua o mais depressa possível e pôr no lugar dele a Manuela."...

A campanha para as legislativas já começou, e agora contra o PS vale tudo, inclusivamente tirar olhos. Vão descobrir que um tio de um primo de um motorista de Sócrates furtou um sabonete num supermercado. O chamado "processo Freeport", que esteve em letargia quase uma década, vai agora aquecer ao rubro.

O PS tem contra si todos os poderes instituídos, designadamente o poder presidencial e o PODER JUDICIAL, e todos os poderes fácticos: a Igreja Católica (com as suas reivindicações como a Concordata, os professores de Moral, o casamento de homossexuais, ...), a maior parte da Comunicação Social, designadamente a líder de audiências TVI e o jornal "de referência" do Eng Belmiro de Azevedo; os sindicatos dos que vivem à custa do Estado, designadamente juízes, agentes do Ministério Público, inspectores da PJ, guardas da GNR, polícias, guardas prisionais, cabos de esquadra, etc., quase todos orquestrados pelo incansável PC. A seu favor, o PS só pode contar com o povo.

Esperemos que se confirme a máxima "O povo é quem mais ordena".

Comentários

Nos EUA depois de Bush escolheram Obama. Em Portugal foi ao contrário.
ana disse…
Este povo tem ao seu dispor há mais de 30 anos toda a informação, liberdade de expressão, meios para aprender e a experiência que leva à sabedoria. Mas há uma faixa, e grande, que é a que faz ganhar ou perder eleições, sempre à procura de quem, por milagre, lhes resolva os problemas e ora vota num ora vota noutro, sem quaisquer perspectivas de futuro. Querem todos os direitos e nenhuns deveres. Há 40 anos nada tinham e nada exigiam, hoje pedem a demissão de quem não lhes der um hospital na esquina da rua. Povo triste, este.
Mano 69 disse…
Que amarga D. ana

Ainda bem que a senhora pertence á "faixa", pequena é certa, do país superficial e irreal (por oposição ao profundo e real), daqueles/daquelas que tem perspectivas a curto, médio e longo prazo. Dos que sabem sempre o que quer e para onde vão.
No fundo a democracia é uma chatice e o povo são uns ingratos.

Cumprimentos respeitosos

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita