António Barreto – a pitonisa da pior direita


António Barreto, ilustre sociólogo, medíocre cidadão e execrável político, culpa "todos os partidos" pela "ameaça terrível de bancarrota".

Dada a inconstância que pautou a sua vida política, desde o malabarismo que o excluiu do PS, o oportunismo que o afastou do PCP e a vergonha que o coibiu de ser candidato à Câmara do Porto, pelo PSD/CDS, António Barreto refugiou-se no regaço da direita e, sem deixar de fingir que era de esquerda, converteu-se na vuvuzela reacionária da pior direita.

Há indivíduos assim. Até gente honrada lhe cita o nome, enquanto os incautos o ouvem como se fosse um pensador virtuoso e um político que se pautasse pela independência. Depois de ser o comentador avençado da direita, com laivos de imparcialidade, acabou como empregado de um merceeiro holandês, exonerando a coerência, a ética e o pudor republicano.

O sofrível político de quem Mário Soares, na sua pior fase, fez ministro da Agricultura, é o exemplo que os pais devem apontar aos filhos como vergonha a que estes os devem poupar.

Comentários

Bmonteiro disse…
Se não foi o partido partidos de Armando Dias Vara Loureiro que levaram o Estado à bancarrota, quem foi?
Sobre os aeroportos Castelo Branco e Covilhã, para o JF, acabo alterar e eliminar o seguinte:
"CasteloB-Covilhã: a mesma luta*"
.....
*a mesma luta ainda,no que resta da cavalgada do bloco central, PS, PSD, CDS, no caminho democrático para a bancarrota.
"CasteloB-Covilhã: porta-aviões Portugal"
Vai seguir.

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime