AAP - 1.º Aniversário. Saudação


Caros ateus e ateias:

Faz hoje 1 ano que a Associação Ateísta Portuguesa se constituiu. Dezassete dias antes tinha havido uma peregrinação a Fátima, contra o ateísmo, presidida pelo então criador de milagres, santos e beatos – cardeal Saraiva Martins. Algum tempo depois o patriarca Policarpo considerava o ateísmo a maior tragédia da actualidade.

São exagerados estes publicitários. Até nos quatro bispos mobilizados para afrontarem a Associação Ateísta Portuguesa (AAP).

Neste primeiro ano de existência associativa, tornámos visível o ateísmo como filosofia de vida, ética e socialmente válida; defendemos os legítimos interesses de ateus, agnósticos, pessoas sem religião e crentes de religiões minoritárias, contra os privilégios da religião dominante; denunciámos o obscurantismo religioso e o espectáculo aviltante da cura do olho esquerdo da D. Guilhermina de Jesus, queimado com salpicos de óleo fervente de fritar peixe, por intercessão de Nuno Álvares Pereira, fraude que envolveu as mais altas figuras do País, constitucionalmente impedidas de autenticar milagres, e que, só na véspera, tiveram o decoro de desistir da deslocação a Roma; mas foi sobretudo na defesa da laicidade que o nosso empenhamento cívico constituiu uma referência ética, certos de que o Estado não pode ser ateu pela mesma razão por que não deve ser confessional, convictos de que só a absoluta neutralidade é factor de paz e garantia de respeito pelas crenças, descrenças e anti-crenças a que cada cidadão tem direito num país civilizado.

O nosso apego às instituições democráticas é irrepreensível, o respeito pela Constituição da República Portuguesa é autêntico e é calorosa a defesa que fazemos da Declaração Universal dos Direitos do Homem.

Somos ateus por razões intelectuais, incapazes de acreditar nas religiões, indisponíveis para acatar dogmas ou aceitar os deuses que os homens criaram no auge do tribalismo. Somos ateus, também, por razões morais, recusando a violência, o racismo, a crueldade, a misoginia e a homofobia do deus raivoso que os homens criaram na Idade do Bronze e cujo paradigma está vertido num livro abominável – o Antigo Testamento –, que inspira os monoteísmos: judaísmo, cristianismo e islamismo, todos belicistas e os dois últimos implacavelmente prosélitos.

Não nos intimidamos com as piedosas mentiras do catolicismo, que atribui ao alegado ateísmo de Hitler o Holocausto, porque sabemos como o anti-semitismo cristão inspirou a barbárie nazi, como protestantes e católicos lhe deram listas dos baptizados, como sempre se considerou crente e como foi mandada celebrar uma missa solene em todas as igrejas católicas alemãs pela alma do ditador.

De Mussolini a Franco, de Salazar a Pinochet, de Ante Pavelic e Josef Tiso não faltaram torcionários amigos do Papa e da hóstia. No Islão basta lembrar as teocracias do Irão e da Arábia Saudita para percebermos a tolerância e a bondade pregadas nas madrassas. E não esqueçamos os judeus das trancinhas que ameaçam derrubar o Muro das Lamentações à cabeçada com a mesma paixão com que anseiam exilar palestinos e proibir o toucinho.

Porque pensamos que não há sociedades livres sem respeito pela liberdade individual e pela igualdade de género, repudiamos a moral imposta pelas religiões, com prémios e castigos para depois da vida, este bem único e irrepetível que queremos fruir até ao limite da nossa existência ou da nossa decisão.

Caros ateus e ateias, parafraseando Dawkins: Deus provavelmente não existe, portanto gozemos este almoço e esqueçamos a última ceia.

Bem-vindos a Coimbra. Viva o livre-pensamento. 30-05-2009

Comentários

polytikan disse…
Lá no fundo, todos têm o direito a chamar pai a alguém, de preferência a alguém perfeito que faz os seus à sua semelhança. Assim dá mais categoria, mais dignidade.
Quem quer ser apenas matéria orgânica mais ou menos animada?
Anónimo disse…
você se esqueceu de citar também a Guarda de Ferro romena e o governo Antonescu apoiados pelos sicários ortodoxos.. os sicários ortodoxos abençoaram o regime de Papadopoulos na Grécia... além do regime clerical de Makarios no Chipre. Ou o governo pró-nazi do luterano devoto Quisling, apoiado pela igreja luterana. Por coincidência, Quisling era filho de pastor luterano!! Faltou citar o apoio luterano a Hitler... a ponto do bispo luterano Ludwig Müller ser aclamado "Reichsbischof"... e liderar o grupo naziprotestante "Deutsche Christen". Devemos nos lembra também da cumplicidade islâmica com Ante Pavelic, a ponto do vice-presidente do "NDH" ser islâmico!!! Devemos nos lembrar também de judeus que colaboraram com o nazismo. Sionistas que nem o Barão von Mildenstein, Kurt Tochler tinham ótimas relações com os nazis. Nos campos de concentração nazistas alguns judeus cooperavam com os nazistas, servindo de capatazes e guardas em troca de conforto. Foi revelados que alguns soldados nazistas tinham sangue judeu. O livro "Os soldados judeus de Hitler" conta isso.. Bom.. falando em ditadura católica.... o Vietnam do Sul foi semelhante a Croácia de Pavelic. pois promoveu perseguição religiosa e politica. O ditador sul vietnamita, Ngo DInh Diem, um devoto católico, perseguiu duramente budistas, protestantes, católicos moderados e comunistas.Diem era influenciado por seus 2 devotos irmãos Ngo Dinh Nhu (chefe da polícia) e Ngo DInh Thuc (Primaz) . Mas zelo católico de Diem lhe custou a presidência. OS EUA do católico JFK reprovou sua política de tolerância religiosa e ordenou golpe de estado.
Há que relembrar também do "belo" papel exercido pelas igrejas católica e protestantes durante o massacre de Ruanda em 1994.
Pois é,.... as religiões dão "suporte moral" ao homem.
Julio disse…
Parabéns!
Continuem com coragem contra o fanatismo papal!
Contra TUDO o que é trogloditismo [ e parasitismo] religioso de cristos e profetas!
Mano 69 disse…
Deixo aqui um singelo poema sobre o coração do CE


MEU CORAÇÃO É ATEU

Família Lima
Composição: Lucas Lima

Se você pedir palavra
Te dou poesia
Se quiser um segundo
Eu te dou uma vida
Se for pra depois
Deixa que eu chego antes
Se quiser carvão
Eu te dou diamante

Mas se você pedir meu coração
Não sei o que dizer...

Pois meu coração é ateu
E assim vai sempre ser
Meu coração é ateu
Pra sempre só você

Se pedisse pouco
Eu te daria muito
Se pedisse espaço
Eu te daria o mundo
Se sentisse dor
Eu te daria amor
Se pedir semente
Eu te dou a flor

Mas se você pedir meu coração
Não sei o que dizer...

Pois meu coração é ateu
E assim vai sempre ser
Meu coração é ateu
Pra sempre só você

Se pedisse nota
Te daria a música
Se me desse um beijo
Te faria única.
Mano 69 disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Mano 69 disse…
«Neste primeiro ano de existência associativa, tornámos visível o ateísmo como filosofia de vida, ética e socialmente válida; defendemos os legítimos interesses (...) CRENTES DE RELIGIÕES MINORITÁRIAS, contra os privilégios da religião dominante;»

Objectivos (in http://www.aateistaportuguesa.org/)
A Associação Ateísta Portuguesa propõe-se e constituem seus objectivos:

A representação dos legítimos interesses dos ateus, agnósticos e OUTRAS PESSOAS SEM RELIGIÃO no exercício da cidadania democrática;
Manifesto
Na sequência da legalização da Associação Ateísta Portuguesa, os outorgantes da respectiva escritura saúdam todos os livres-pensadores: ateus, agnósticos e cépticos, QUE DISPENSAM QUALQUER DEUS PARA VIVEREM e promoverem os valores da liberdade, do humanismo, da tolerância, da solidariedade e da paz.

Olhe que a AAP está atenta à sua deriva e nem o facto de ser presidente da dita o salva…


(maiúsculas minhas)
andrepereira disse…
Um Abraço, Carlos Esperança. A vossa Associação tem desempenhado um papel relevante na sociedade portuguesa. Que assim continuem! André
Mano 69 disse…
Qual papel?
O papel?
Qual papel?
O papel?
Qual papel?
O papel?

Almaço?
Papel ácido?
Papel alcalino?
Papel artesanal?
Papel autocopiativo?
Papel bíblia? (ESTE DEFINITIVAMENTE NÃO!)
Papel cartão?
Papel couché?
Papel dobradura?
Papel de seda?
Glinter - Uma espécie de papel termossensível?
Papel higiénico?
Papel jornal?
Papel fotocopiador?
Papel fotográfico?
Papel offset?
Papel termossensível?
Papelão?
Papel reciclado?
Papel vegetal?
Papel vergé?
Papel sulfite?
Papel de Arroz?
Papel de westimentor?
Papel de folha de bananeira?
PAPEL PEREIRA?

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime