CDS - Centro de Defesa do Stalinismo

O eurodeputado do CDS-PP Ribeiro e Castro confirmou, esta segunda-feira, em declarações à TSF, que não foi convidado pelo partido para as jornadas parlamentares que estão a decorrer em Aveiro.

Comentário: Paulo Portas, depois de ter apagado a memória do fundador, Freitas do Amaral, procura agora um destino a dar à fotografia de Ribeiro e Castro, ambos suspeitoss de serem democratas.

Comentários

andrepereira disse…
Ribeiro e Castro estava a tentar construir um partido charneira, uma partido democrata-cristão de estilo europeu, com quadros qualificados, com coerência ideológica e com gente de bem. Poderia vir a ser um partido importante na democracia portuguesa. Mas a direita portuguesa não quer nada disso: apenas quer populismo, culto da imagem, grupelhos de amigos, gente sem valor próprio fora da política. É pena que seja assim. Resta a uma parte, pequena parte, do PSD cumprir o papel que se exige à Direita. Paulo Portas está esgotado e os seus amigos apenas conseguem votos na sede do CDS.
Por outro lado, se pensarmos bem, grande parte dos velhos amigos de Ribeiro e Astro estão hoje na órbita do PS pós-Guterres...
e-pá! disse…
O CDS diz que é sempre prejudicado nas sondagens pré-eleitorais...

As últimas - provenientes de várias origens - são particularmente desastrosas, mas a actual direcção partidária continua a sonhar com altos voos.

Se os maus resultados se confirmarem, Paulo Portas, neste momento, já incompatibilizado com o núcleo duro que o reconduziu à liderança do CDS (Telmo Correia, Lobo Xavier, Mª José Nogueira Pinto, Pires Lima, etc.), vai fazer uma nova cena do tipo: " agarrem-me que me vou embora!"

Nuno Melo, atónito, sendo a última vítima da estratégia de Portas para o CDS, constarará, indignado, que o chefe não merecia tamanha ingratidão...
À boa moda da hipocrisia política, demite-se publicamente com dramatismo, amua, escondido da opinião pública e das feiras e manda um recado para o exterior: mostrou um grande desapego ao poder...!

O CDS na ressaca que se prevê, será difícil contar com os habituais apoios que foi, sistematicamente, trucidando nos últimos tempos.

Provavelmente, o único dirigente (ou ex-dirigente) que se chegará à frente, com experiência e capacidade de salvar os escombros do CDS será, outra vez, Ribeiro e Castro.

Se, assim for, nesse mesmo dia, Portas fará a primeira reunião para conspirar contra Ribeiro e Castro.

Este o ciclo infernal da Direita portuguesa que nem consegue ser estalinista...
Fica-se pelas sacanices, pelas pulhices e cultivam a traição à moda dos Bórgias...

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime