Escândalo do BPP. Opinião de um leitor

Seria um grande escândalo e um crime de lesa-majestade, se o ministro das Finanças, com o dinheiro dos nossos impostos, viesse socorrer os clientes do BPP, devolvendo-lhes o valor dos investimentos que efectuaram para aplicar na especulação bolsista. A desculpa esfarrapada que eles avançam, fazendo de nós uns mentecaptos, para nos convencer da sua inocência, em relação à natureza das suas aplicações, é risível e desconchavada, e só mostra como esta gente não tem escrúpulos em exigir ao Estado as responsabilidades que pertencem inteiramente ao banco que lhes alimentou o ego e a carteira, durante alguns anos.

Estão envolvidos nesta operação 1,7 biliões de euros, uma importância avultada que daria para pagar muitos subsídios de desemprego e muitos subsídios sociais de desemprego. Se estes milhões de euros saírem do Orçamento de Estado, através da interferência de uma qualquer traficância política, para os bolsos daqueles clientes, o défice orçamental agravar-se-á ainda mais, aumentando os sacrifícios futuros dos portugueses, para quando chegar a hora de novamente equilibrar as contas públicas.

Se os clientes se sentem enganados pelo BPP, apenas devem seguir um caminho: os tribunais. É para estes casos que eles existem. Mas parece-me que os clientes, inseguros das suas razões, têm medo que a lei não esteja do lado deles.

A imoralidade é o primeiro sinal da degenerescência de uma sociedade e compete aos cidadãos livres e honestos evitar que ela se instale e alastre pelo tecido social. E, como abjecta imoralidade, já nos chegou aquela que envolveu o obscuro negócio da CGD com o especulador Manuel Fino, negócio este de contornos muito pouco claros, de quem já ninguém fala.

Espero não chegar à triste conclusão de que pertenço a um país, onde o Estado se comporta como um qualquer malfeitor, assumindo o papel de predador dos dinheiros públicos, para satisfazer a voracidade de clientelas, sejam elas políticas ou de outra natureza.

a) Alexandre de Castro

Nota: Utilizo o termo "especulador", aumentando-lhe toda a carga pejorativa que ele já contém.

Comentários

polytikan disse…
acesso universal à segurança social...
e assim vai, pelo cano abaixo, o estado social.

ps - bem se disse que a lei de nacionalização do bpn era inconstitucional, mas preferiu tudo meter as mãos nos bolsos e assobiar para o ar.
Quando leio matérias assim é que me convenço de que o sistema capitalista está em processo de falência. Ora, se alguém faz um investimento de risco e depois não quer ter prejuízo, então não faça o tal investimento.
Quando vejo governos estatizarem empresas em processo de falência fico me perguntando se os empresários só são capitalistas no lucro e no prejuízo são socialistas.

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime