A "saga" BPN...


O insólito espectáculo proporcionado ao povo português por Oliveira e Costa sobre o caso BPN teve, no meu entender, um rebate pedagógico tremendo.
Fez-nos compreender como chegamos a esta crise. O mundo financeiro aparece aos olhos dos cidadãos completamente armadilhado, corrompido e vulnerável. Um autêntico embuste que vive à custa do dinheiro dos cidadãos...
Penso que depois de ouvir os depoimentos, naturalmente contraditórios das diferentes personagens que passaram pela audição parlamentar (…e que valem o que valem) ficamos com poucas certezas, mas imensas dúvidas.

Das certezas, há uma que é crucial. Este poder financeiro precisa de ser escrupulosamente regulamentado, ia a dizer, rigorosamente vigiado porque situações como a actual crise não se podem repetir. Pouco, muito pouco, tem sido feito nesse sentido. A iniciativa continua do lado da banca, que põe e dispõe, o que é, no mínimo, preocupante.

Das dúvidas, assistimos a um cortejo de políticos, essencialmente do tempo de cavaquismo que, pelo que se supõe que fizeram ou, não fizeram, mostram ser homens vulgares, quando não venais. O espanto é: como foi possível que tão estrondosas vulgaridades tenham ocupado lugares de destaque no aparelho do Estado?

"Eu sei mais do que disse", admitiu Oliveira e Costa, acrescentando que está "a guardar uma série de informação, que não é útil a esta comissão parlamentar, para usar mais tarde".
Nós, também, aguardamos. Perante um estendal de contradições, de “rasteiras", de mentiras (foi esse o termo hoje usado!), de traições, temos o direito de saber como foram aplicados os proventos dos portugueses na sua nacionalização e na salvaguarda dos interesses dos seus accionistas e depositantes.

Todavia, o dia de hoje foi fatal para o Prof. Cavaco e Silva e os seus formalismos políticos pretensamente isentos, ou neutros, mas vazios de qualquer conteúdo.
Depois desta primeira audição de Oliveira e Costa, todos os partidos representados na AR, defendem o afastamento de Dias Loureiro do Conselho de Estado.
Mas o dito senhor continua lá com todas as imunidades inerentes!

Apetece perguntar: que mais nos falta para desacreditar este País?

Comentários

e-pá! disse…
Adenda:

BPN: MP já pediu levantamento da imunidade de Dias LoureiroO juiz de instrução criminal que tem a seu cargo a investigação do Banco Português de Negócios (BPN) terá já enviado ao Conselho de Estado um pedido de levantamento da imunidade do conselheiro Manuel Dias Loureiro, um dos envolvidos no caso do BPN.
A notícia é avançada pela edição desta quarta-feira do Correio da Manhã, que assegura que, especialmente depois das declarações de Oliveira e Costa no Parlamento, na quarta-feira, a audição de Dias Loureiro pelo Ministério Público (MP) é praticamente incontornável.

Segundo o jornal, as acusações do ex-presidente do BPN vêem encaixar nos factos que têm vindo a ser investigados nos últimos dois meses pelo MP, além de arrasarem completamente a versão contada por Dias Loureiro.


Diário Digital,quarta-feira, 27 de Maio de 2009 | 10:10

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime