O Sr. Duarte Pio e o ordenamento do território

O Sr. Duarte Pio afirmou-se na pesquisa histórica com a descoberta da genuflexão dos cavalos de D. Nuno, antes da batalha de Aljubarrota, no preciso sítio onde, em 1917, o Sol faria piruetas e a senhora de Fátima apareceu a promover o terço. A investigação levou-o à publicação de um opúsculo que só a modéstia o impediu de reclamar uma cátedra.

Se D. Nuno não tivesse sido canonizado pela sua intercessão na cura do olho esquerdo da D. Guilhermina de Jesus, queimado com óleo de fritar peixe, um milagre confirmado por médicos ateus e pelo Vaticano, o Sr. Duarte mostrava-lhes o opúsculo e arrasava-os com o prodígio dos solípedes. A canonização do taumaturgo era inevitável, apesar da injustiça papal que ignorou a presença de Duarte Pio e a de Paulo Portas em tão piedoso acto, dos poucos que no Vaticano puseram os pés. Todos.

O esforço intelectual com a publicação do opúsculo sobre a piedade dos cavalos, longe de lhe provocar um esgotamento, estimulou-o para outras tarefas nobres.

No dia 23 do corrente mês deste Ano da Graça, o Sr. Duarte Pio participou na Coroação e Função do Senhor Espírito Santo da Santa Casa da Misericórdia de Angra, actividade que deve exigir saber e devoção.

Mas o erudito e ecléctico intelectual revelou-se também, à margem da participação na Coroação e Função do Senhor Espírito Santo da Santa Casa da Misericórdia de Angra, um especialista em ordenamento do território.

O Sr. Duarte Pio afirmou que o estatuto político ideal para as regiões autónomas dos Açores e da Madeira seria o de «reino unido», como possuem a Escócia ou as Antilhas Holandesas. Segundo a Lusa, o ilustre visitante sustentou que «os reinos unidos dão o máximo de autonomia com o máximo de unidade nacional». Revelou ser um perito em ordenamento do território e um erudito em Geografia pois até sabe da existência da Escócia e das Antilhas.

Com tal sabedoria, não tardará a propor um estatuto para as Berlengas e os Farilhões.

Comentários

e-pá! disse…
Nas citações sobre ordenamento do território passou, como gato sobre telhado de zinco quente, ao lado da Irlanda do Norte, da Groenlândia...

Fica para o próximo opúsculo!
Com tão engenhoso plano de ordenamento, D.Durte Pio mostra-se digno da memória de seu pai, D. Duarte Nuno, que sendo engenheiro agrónomo concebeu um plano de irrigação para o Alentejo que nunca foi inaplicado, por ser inaplicável, mas que lhe valeu o cognome de D. Duarte II, o Irrigador!
Mano 69 disse…
«que nunca foi inaplicado, por ser inaplicável,»

Um trocadalho do carrilho!

Será inaptidão ou aptidão para tal?

Mensagens populares deste blogue

Associação Ateísta Portuguesa (AAP) - RTP-1