Luís Amado - Um faquir no Governo

*
O ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, disse esta sexta-feira no Parlamento ser sua obrigação «pôr as mãos no fogo» pelos seus antecessores governativos no caso dos voos da CIA, enquanto não houver nenhuma prova de cumplicidade com actividades ilegais.

Comentários

Anónimo disse…
Pôr as mãos no fogo! São espantosas as coisas que se aprendem e ensinam na Universidade Católica e Jesuita de Georgetown.

"Apirol"
e-pá! disse…
"Interessante" (...talvez significativa) foi a qualificação da deputada ao PE, Ana Gomes - feita à saída da Comissão parlamentar por um jovem político do CDS - como uma fautora de "terrorismo mediático".

De resto, queria lembrar ao min. Luís Amado, uma frase do escritor, jornalista e dramarturgo irlandês - George Bernard Shaw:

"TODAS AS GRANDES VERDADES COMEÇARAM POR SER BLASFÉMIAS"

Portanto, caro ministro, nunca se ofereça para por as "mãos no fogo"... ainda acaba num circo.
Anónimo disse…
O mais engraçado nas declarações deste ministro foi qunado disse:
"... se houver provas contra mim, obviamente, demito-me."

Ora, se nada fez de errado, não poderão existir provas, ou a existir seriam pura mentira.
Ao admitir que se houver provas demite-se, então é pq algo de errado terá feito e só espera que não se descubra.

Mensagens populares deste blogue

Os incêndios e a chantagem ao Governo

O último pio das aves que já não levantam voo