Quem não deve, não teme

As negociações de Edite Estrela (PS) com Luís Queiró (CDS), para eliminar algumas partes do relatório europeu sobre os voos da CIA, não prestigiaram o PS e permitiram que os nomes de Paulo Portas e Figueiredo Lopes deixassem de ser mencionados por se terem recusado a reunir com a comissão de investigação.

No fundo foi particularmente o Governo de Durão Barroso que se quis ilibar. Mas que fosse o do PS. A verdade é mais importante do que os compromissos e a defesa dos direitos humanos mais relevante do que o bom-nome de pessoas pouco recomendáveis.

O nome de Portugal não se defende encobrindo os cúmplices, prestigia-se denunciando-os à opinião pública europeia.

Comentários

É o que faz termos políticos reformados no Parlamento Europeu.

Chegam sempre a acordo - porque o acordo já foi com eles de aqui.
Anónimo disse…
A Edite que é o paradigma das louras-versão letrada- e o Queiró, são ambos acérrimos defensores da língua portuguesa, será que Paulo Portas e Figueiredo Lopes são nomes "amaricanos"?
E o Coelho não é um homem de confiança?...

Mensagens populares deste blogue

Os incêndios e a chantagem ao Governo

Vasco Graça Moura